Um Gondomar feroz começa a perder e vence pela margem mínima

Um Gondomar feroz começa a perder e vence pela margem mínima

Gondomar, 2 – Sanjoanense, 1
Gondomar : Yeerzati, Mica, Rui Filipe, Pedro Meneses, José Pedro, Huguinho, Diogo Silva, Fabinho, Andrés Ca- brera, Helder Silva, Abdoulaye Daffè
Treinador: José Alberto

AD Sanjoanense: Fábio Santos, Cauê, Vitor Bastos, Almeida (C), Castro, Syzsi, João (Rafa 60’), Coulibaly (Gazela 82’), Matheus (Terrence 60’), Kay Kay e Caleb
Treinador: Nuno Costa

Acção disciplinar: Amarelos para Coulibaly, Roldan, Yeerzati, Mica
Golos: Caleb (3’), Andrés Cabrera (45+1’), Abdoulaye Daffè (56’)
Ao intervalo 1-1
Era um daqueles duelos esperados com muita expectativa, tipo tira teimas na jornada 15 do Campeonato de Portugal série B.
Pelo pleno destaque deste jogo, o Gondomar é o líder deste campeonato digno de registo e por essas razões os alvinegros desejavam fazer história na deslocação a Gondomar. Começar mal para acabar com um sorriso.
A Sanjoanense reconhecia a qualidade do adversário, mas entrou com a disposição de baralhar o adversário e as combinações entre os homens da frente saíram muito bem aos de preto e branco, com Kay Kay a cruzar muitíssimo bem e Calbeb, logo aos três minutos, a “facturar”, inaugurando o marcador.
Bem orientados por Nuno Costa, comandavam as operações da formação local impedindo as investidas e, por isso, aproveitou as transições defensivas deficitárias por parte do adversário, que sentia dificuldades.
A Sanjoanense aguentou quase toda a primeira parte com um resultado que lhe permitia sonhar com uma vitória frente a um Gondomar, desesperado para não ceder os primeiros pontos em casa.
Já perto do intervalo, Andrès, aos quarenta e cinco minutos mais um, restabeleceu o empate com um grande golo, deixando os sanjoanenses desesperados mas conscientes que a segunda parte poderia permitir uma vitória, se bem que o empate até que não era nada mau.
Ao intervalo, o empate castigava uma primeira metade positiva da Sanjoanense, que sentiu em demasia o golo sofrido, não conseguindo impor-se no regresso dos balneários.
A segunda parte fica marcada pela pressão do Gondomar, que foi dando margem ao adversário para acreditar que o empate podia ser um resultado possível até ao final. Não houve melhorias em termos de jogo do lado da Sanjoanense e assistiu-se, em vários momentos da 2.ª parte, a um Gondomar superior, que sentia apoio da sua massa adepta em grande número no Estádio São Miguel.
Com muitos nervos e pouca criatividade, o conjunto de Nuno Costa não conseguia criar lances de real perigo junto à baliza de Yeerzati.
O Gondomar crescia no jogo e, num desses períodos em que a Sanjoanense dispôs de um par de oportunidades, sem efeitos práticos no resultado, a equipa comandada por José Alberto consegue a “cambalhota” no marcador. Abdoulaye Daffè, aos 56’, com o senegalês a não desperdiçar e a bater Fábio Santos sem “apelo nem agravo”.
A ADS cedeu na deslocação ao líder e termina o ano com uma derrota que encerrou o ciclo de dois jogos fora que resultaram num empate na Madeira frente ao União e uma derrota com o Gondomar, descendo ao 8.º lugar na competição.
O próximo jogo será no Conde Dias Garcia, a 6 de Janeiro do novo ano 2019.

António Santos

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

  Subscribe  
Notify of