The Gift, Salvador Sobral, Sérgio Godinho entre os grandes nomes da programa cultural para 2019

The Gift, Salvador Sobral, Sérgio Godinho entre os grandes nomes da programa cultural para 2019

The Gift, Diogo Piçarra, Salvador Sobral, Sérgio Godinho e Maria João são apenas alguns dos nomes da música que vão passar pela Casa da Criatividade, no âmbito da programação cultural para 2019, que arrancou na passada sexta-feira com o concerto de Aline Frazão e traz Paulo de Carvalho ao palco já no próximo dia 2 de Fevereiro. São cerca de 70 espetáculos de música, teatro, cinema, incluindo programação infantil e familiar, que passam também pelos Paços da Cultura, que voltam a acolher as conferências do ciclo «Pensar o Futuro». Novembro volta a ser o mês do Jazz e as noites de quinta-feira prometem cinema e programas alternativos.

Foi em palco que o presidente da Câmara Municipal de S. João da Madeira, Jorge Sequeira, apresentou aos jornalistas o programa cultural para a Casa da Criatividade e Paços da Cultura para este ano de 2019. O momento informal decorreu na tarde da passada sexta-feira, 18 de Janeiro, data que marcou o arranque da programação com o concerto da angolana Aline Frazão.
2018 foi, nas palavras do autarca, um “ano de transição e progresso”, com o número de espectadores a subir cerca de 48 por cento face ao ano anterior. Incremento que Jorge Sequeira relaciona com factores como a “qualidade da programação, mudança no processo de comunicação dos espectáculos e a nova política de preços”, que são agora “mais amigáveis”.
Ao lado de Jorge Sequeira nesta apresentação esteve Gisela Borges, responsável pela coordenação da programação. O edil sublinhou, no entanto, que “a arquitectura deste programa é muito tributária do trabalho de Suzana Menezes”, ex-chefe de divisão da Cultura do município sanjoanense que, no início deste ano, assumiu o cargo de directora regional de Cultura do Centro.
Para 2019, Jorge Sequeira garante que se mantém a “aposta na qualidade”, com uma programação que traz “grandes nomes à Casa da Criatividade”. Depois de Aline Frazão ter subido ao palco na passada sexta, a programação segue com nomes como Paulo de Carvalho, já no próximo dia 2 de Fevereiro, The Black Mamba (15 de Fevereiro), os The Gift (5 de Abril), que regressam a S. João da Madeira 20 anos depois, mas agora com o antigo Cinema Imperador transformado em Casa da Criatividade, Cecília Krull a voz da faixa-tema da série «La Casa de Papel» (29 de Março), Diogo Piçarra (29 de Junho), Salvador Sobral (27 de Setembro) e Sérgio Godinho (12 de Outubro), entre outros, com espaço para a estreia de Gospel com o coro Saint Dominic’s Choir (13 de Dezembro).

Continuidade e novas propostas

O «Novembro Jazz» está de regresso, este ano só com vozes no feminino. Maria João abrirá a segunda edição deste festival (8 de Novembro), por onde vão passar também Shirley King, que herdou a voz do seu pai BB King, Elisa Rodrigues e Jacinta.
Pelos palcos sanjoanenses vai passar também teatro e revista, com propostas para todos os públicos.
Em 2019, a Casa da Criatividade passa a acolher uma nova proposta – «Alternativa à 5a» – que pretende afirmar as quintas-feiras como dias “dedicados à cultura”. Alternando com o Cine S. João, que na primeira quinta-feira de cada mês leva o cinema aos Paços da Cultura, uma vez por mês, sempre à quinta (com uma única excepção), a Casa da Criatividade prova a sua polivalência, explorando a sua “possibilidade de configuração” para sete espectáculos, entre teatro e música, “mais acolhedores e intimistas”, culminando com um espaço para “contacto informal” entre o público e os artistas.
Em 2019, os Paços da Cultura vão continuar a dar palco aos artistas e associações sanjoanenses, com o ciclo «Somos Nós», mas também a acolher as conferências «Pensar o Futuro», com “grandes nomes da cultura, filosofia, política e ciência”. «Direitos da Humanidade» será o ponto de partida para este ciclo de conferências, que Jorge Sequeira espera que se “constitua como uma tradição na nossa cidade”. Os convidados deste ano são o antigo secretário-geral da CGTP Manuel Carvalho da Silva (20 de Abril), a ministra Maria Manuel Leitão Marques (1 de Junho), o professor catedrático Viriato Soromenho-Marques (28 de Setembro) e o cientista Carlos Manuel Batista Fiolhais (16 de Novembro).
Gisela Borges informa que os espectáculos estão já a ser anunciados na página da Casa da Criatividade na Internet e nas redes sociais, estando em venda os bilhetes para a maioria das datas, com poucas excepções, como o caso do concerto dos The Gift, cujos pormenores serão apenas revelados a 1 de Fevereiro.

Vida cultural do município extravasa palcos

A programação da Casa da Criatividade e dos Paços da Cultura cruzam-se ainda com diversos outros momentos culturais que são já tradição na cidade, como a «Poesia à Mesa», Festival de Teatro de S. João da Madeira, Semana da Juventude ou ainda «A Cidade no Jardim».
À semelhança do ano passado, em Agosto, a Casa voltará à rua, com a realização de espectáculos em espaço público, em diferentes áreas da cidade, no âmbito da programação «Verão ComVida».
Ao apresentar todo este calendário, o presidente da autarquia sublinhou que “o programa cultural do município é mais vasto”, extravasando os palcos destes dois equipamentos. Para breve, Jorge Sequeira aponta a apresentação da programação do Núcleo de Arte da Oliva e dos museus da Chapelaria e do Calçado, garantindo ainda estarem já calendarizados as edições de 2019 do «Hat Weekend» e do «Gin & Street Food Sessions». Oferta cultural que “se dirige a todos”.

“A despesa na cultura é social”

Para 2019, Jorge Sequeira garante também a continuidade da “política social” de “abrir a Casa” e os museus da cidade ao programa «Sénior Ativo», dirigido a idosos em situação de isolamento.
Orçamentando para a cultura uma verba na ordem dos 150 mil euros para 2019 – “em linha com os valores do ano passado” – Jorge Sequeira defende que “o investimento que o município faz na cultura é pequeno” e é “tão ou mais importante que as intervenções no pavimento de ruas ou na manutenção de equipamentos”. “Grande parte” deste montante é “recuperado pela bilheteira” gerada pelos espectáculos.
“A cultura conduz à paz e ao bem-estar social”, pelo que o autarca considera que este é um “investimento relevante e decisivo” e classifica a “despesa na cultura” como “social”.
Jorge Sequeira faz um balanço positivo da nova política de preços introduzida no ano passado, apontando que o “público está a fidelizar-se”, havendo mesmo confirmação de pessoas que assistiram “a mais espectáculos por causa do preço”, que é agora “mais amigável”.

Joana Gomes Costa

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

  Subscribe  
Notify of