Tarde desastrosa do Macieirense

Tarde desastrosa do Macieirense

Macieirense, 1 – Alvarenga, 3

Campo do Viso em Macieira de Sarnes
Árbitro: Carlos Novais auxiliado por Joel Moreira e Marco Machado

Macieirense: Melo, Rosas, Mendes, Vidigueira (Maia 38’), Serginho, Huguito (João 57’), Abel, Pedro Leite (Marcelo 38’), Roma, Familiar e Talhas
Treinador: Borges

Alvarenga: Rúben Matos, Sahil, Erick, Bertier, Lorenzi, Mateus, Airton, Stefan (Cacau 79›), Igor (Gabriel 57›), Leo (Wallace 86›) e Ruan
Treinador: Pedro Costa

Disiciplina: cartão amarelo para Mendes (37’), Ruan (37’), Gabriel (62’), Marcelo (63’), Rúben Matos (64’), Bertier (66’) e Roma (90+2’)
Marcadores: Ruan (6’), Igor (20’ e 55’) e Roma (77’)
No seu segundo jogo em casa, ainda não foi desta que o clube de Macieira de Sarnes conseguiu conquistar os primeiros pontos no campeonato.
Uma vez mais, o Macieirense entrou desconcentrada e sofreu o primeiro golo logo aos seis minutos, com Ruan a ter muito espaço para rematar para o fundo da baliza adversária.
Em desvantagem no marcador, os locais não conseguiram reagir e foi a equipa do concelho de Arouca, pouco depois, que voltou a marcar. Após mais um erro defensivo, Igor surgiu isolado perante o guardião Melo e, sem dificuldade, fez o 0-2.
A história da primeira parte continuou a ser a mesma, com a formação da casa a revelar muitas dificuldades na construção do seu jogo e pouco intensidade dentro das quatro linhas.
Aos 33 minutos, Leo isolou Ruan que, por pouco, não fez o terceiro golo para o Alvarenga.
Na etapa complementar, o Macieirense voltou a demonstrar uma falta de inspiração coletiva, tornando ainda mais difícil chegar com perigo à baliza visitante.
À passagem do minuto 55, o Alvarenga, onde quase a totalidade do seu onze inicial são jogadores brasileiros, fez o 0-3, por intermédio de Igor e, passados treze minutos, foi a vez de Gabriel atirar, fora da área, para uma excelente defesa de Melo.
No segundo tempo, o encontro foi muito faltoso e quezilento, o que originou muitas paragens e um ritmo de jogo muito baixo.
Apenas no último quarto de hora, a equipa orientada por Borges conseguiu ser acutilante e perigosa, com Roma, na marcação de um livre frontal, a rematar perto do poste, contudo, logo a seguir, o camisola 23 atirou cruzado para um grande golo.
O Macieirense acreditou que, fazendo outro golo, ainda podia chegar, eventualmente, ao empate e foi para cima do seu adversário, embora só tenha criado perigo, já em período de descontos, com Rosas, sozinho, a rematar ao lado.
Diante de um adversário que, à partida para este desafio, também não tinha conquistado qualquer ponto e que luta pelo mesmo objetivo, o Macieirense tem que revelar maior atitude competitiva e concentração e não pode cometer tantos erros defensivos, se pretende manter-se no principal escalão de Aveiro na próxima temporada.