Sociedade

‘Visita do Património’ conta história da cidade

• Favoritos: 55


O programa ‘Visita do Património’ foi reestruturado e agora apresenta-se com acesso a um percurso digital, disponível a qualquer pessoa através de um QR Code. Em coordenação com a Junta de Freguesia de São João da Madeira, os alunos do curso profissional de Operações Turísticas da Escola Secundária João da Silva Correia desenvolveram uma espécie de roteiro que permite aos sanjoanenses conhecerem melhor a sua própria terra.
O projeto ‘Visita do Património’, herdado do executivo anterior, pretende mostrar aos sanjoanenses os principais pontos turísticos ou históricos da cidade. “Numa primeira fase, este programa foi concebido para turmas do 1.º ciclo. Quando o atual executivo tomou posse, decidiu repensar este projeto e alargá-lo a qualquer escola de São João da Madeira, assim como para grupos de professores e alunos de Erasmus que, por algum motivo, estejam por cá e queiram conhecer o concelho”, contextualizou o presidente da Junta de Freguesia de São João da Madeira, Rodolfo Andrade.
Anteriormente, o roteiro tinha 13 pontos de interesse – Museu da Chapelaria, Torre da Oliva, Parque Municipal Ferreira de Castro, Villa Balbina, Parque Urbano do Rio Ul, Câmara Municipal, Casa da Criatividade, Igreja Matriz, Palacete dos Condes Dias Garcia, Palacete do Rei da Farinha, Viarco, Capela de Santo António e Paços da Cultura. Agora, passou a ter 17, incluindo a Oliva Creative Factory, o quartel dos bombeiros, o Estádio Conde Dias Garcia e a estação ferroviária da linha do Vouga. O programa ‘Visita do Património’ pretende suscitar o “interesse” da comunidade para que conheçam e visitem os locais do roteiro digital.
No âmbito deste programa, destinado maioritariamente à comunidade estudantil, um autocarro passa em todos os 17 pontos e para em dois, nomeadamente no Estádio Conde Dias Garcia e no quartel dos bombeiros, mediante a disponibilidade destes dois espaços. “Foi aqui que pedimos a colaboração da turma de Operações Turísticas no sentido de digitalizar esta visita”, realçou Rodolfo Andrade.
Este roteiro digital é um aliado à visita física, uma vez que os alunos do curso de Turismo prepararam áudios e breves descrições para cada ponto de interesse, assim como factos e episódios interessantes, informações essas cedidas pelo professor Daniel Neto.
A coordenadora do curso, Sara Maia, explicou que demoraram cerca de três meses na realização do roteiro digital ‘Visita do Património’. “Cada aluno fez um percurso individual e selecionamos aquele que estaria mais completo; neste caso, foi o da Camila Paixão”, contou Sara Maia, elogiando o “excelente trabalho” dos seus alunos.
Segundo Sara Maia, a próxima meta a alcançar seria tornar o roteiro digital mais acessível, colocando-o em outro idioma. “Talvez seja uma aposta para o próximo ano letivo. A ideia é que o percurso possa ser feito livremente, sem ser necessária a reserva do autocarro e em que não precisem de um guia para visitar estes pontos”, concluiu a coordenadora.

55 Recomendações
86 visualizações
bookmark icon