Sociedade

Vacinação abre “justa expectativa” para aliviar restrições de contactos

• Favoritos: 18


A Misericórdia de S. João da Madeira continua a apostar na vacinação e nos rastreios e caminha cada vez mais para o normal funcionamento das suas valências.

A Santa Casa da Misericórdia de S. João da Madeira anunciou, esta semana, em comunicado, que foi dada continuidade, entre 5 e 11 de abril, aos rastreios à SARS-CoV-2 na instituição, tendo sido testados 15 trabalhadores dos lares de idosos e do lar residencial, por pesquisa PCR, 12 pessoas do centro de atividades ocupacionais, sete profissionais e cinco utentes. “Todos deram resultado negativo à infeção. Estes rastreios elevam o total realizado desde o final dos surtos a 170 testes”, refere a nota divulgada à imprensa.
Relativamente à vacinação, foram administradas com a 2.ª dose da vacina “mais sete utentes da UCCI e cinco dos lares de idosos, elevando para 431 o número de vacinas administradas”.
A mesma nota refere também que a vacinação abriu a “justa expectativa”, nos utentes e nas suas famílias, “de alívio das regras de distanciamento social e de isolamento profilático nos equipamentos residenciais, regras que vêm confinando os utentes desde março de 2020”. Apesar das visitas estarem abertas nos lares de idosos, “o contacto físico não é permitido, o que prejudica o bem-estar psicológico dos utentes”.
A Misericórdia diz ainda que, no dia 9 de abril, a Direção-Geral da Saúde “fez sair a notícia de que está a rever as regras aplicadas aos lares de idosos, facto que se aguarda com ansiedade”. A Santa Casa faz ainda saber que “estimava-se” a vacinação de 85 profissionais da instituição que exercem funções nas Creches, Ensino Pré-escolar, centros ATL e no Centro de Atividades Ocupacionais, nos dias 10 e 11 de abril. “O processo foi adiado sem explicações, remarcado para os dias 17 e 18 de abril corrente”, remata a mesma nota.

18 Recomendações
12 visualizações
bookmark icon