Sociedade

Rostos sem Máscara - 62 - Carlos Guimarães: “Trabalhar em informática é um puzzle constante”

• Favoritos: 118


Especializado em reparações e assistência técnica de computadores, telemóveis e tablets, Carlos Guimarães, de 53 anos, após concluir o curso de 12º ano da Linha de Técnico Profissional, nunca abandonou a área da informática

Em conversa com o “O Regional”, passado a barreira da porta 723 e com vista para a famosa chaminé das cegonhas de S. João da Madeira, o técnico confessa que sempre gostou de computadores e isso lhe trouxe um fascínio por enveredar pela informática, contudo, como é comum na escolha do que seguir no ensino secundário, Carlos confessou que “naquela altura, aquele curso era muito bom”.
Ao longo dos anos, o informático especializou-se em reparar computadores, portáteis, telemóveis e tablets de diversas marcas, enfrentando desafios constantes durante o decorrer da sua ocupação. Cada cliente que, continuamente procura os seus serviços apresenta um problema diferente, “não há dia nenhum em que enfrente circunstâncias iguais, são sempre diferentes. Trabalhar em informática É interessante mas também muito stressante. As surpresas constantes são o que me faz apaixonar pela minha profissão todos os dias. É impressionante”, acrescenta sabendo que estas oportunidades o mantêm sempre em evolução e aprendizagem.
Apesar dos muitos obstáculos que encontra, o técnico afirma que os feedbacks positivos de seus clientes são a prova de que está no caminho certo e que a sua especialização em reparações é um diferencial competitivo em relação a grandes superfícies. “Lá encontras técnicos que ao mesmo tempo precisam de arranjar um computador e também têm que solucionar um problema num frigorífico e é impossível saberes tudo”. Carlos Guimarães preza pelo foco e dedicação a apenas uma área da informática, de modo a que consiga apresentar os melhores resultados aos seus clientes, completando “enquanto que nós como nos focamos nesta área, conseguimos ter mais experiência na pré-resolução desses problemas do que pessoas que divergem. Se nos começamos a focar em muitas coisas, não conseguimos ser bons naquilo que fazemos. Se nos focamos só numa área, conseguimos ser excelentes nessa área”, algo que o torna especialista em reparações e assistências informáticas.
Afeiçoado pela profissão, que o mantém sempre motivado e disposto a enfrentar novos desafios, Carlos Guimarães pretende continuar a zelar pela dedicação em entregar um serviço de qualidade aos seus clientes que experimentam e regressam para tratar de um computador que avariou, um portátil que está lento ou o ecrã de um telemóvel partido, “Temos de nos dedicar e focarmo-nos mais nas pessoas que gostam do nosso trabalho mas acredito que, se fôssemos maus na nossa área, não estaríamos abertos há quase 30 anos. Por isso tenho a certeza que somos uma mais valia no nosso mercado”, concluiu.

118 Recomendações
605 visualizações
bookmark icon