Rostos sem Máscara

Rostos sem Máscara, 60 - Diogo Coelho: O retrato de uma paixão que veio do sofrimento

• Favoritos: 84


Acolher a pessoa, criar empatia e compreender a dor do outro, a hipnose surge como procedimento potencializador em mudanças de sensações, percepções, pensamentos e até mesmo comportamentos. Diogo Coelho, de 35 anos, é hipnoterapeuta desde os 31 anos.

Confessa que nunca foi algo que tinha em mente vir a exercer mas a necessidade em recorrer a esta terapia fez Diogo Coelho apaixonar-se pela mesma. “Dei por mim a pensar em fazê-lo também. Como costumo dizer, podemos aprender de duas formas, pela dor ou por amor. Eu, primeiramente, aprendi por estar a sofrer E, depois, por amar aquilo que faço. Não entendia o porquê de uma pessoa depois da sessão ficar tão calma e em paz. Isso despertou a minha curiosidade e corri atrás do conhecimento. ”, acrescentou o terapeuta.
Antes, designer de calçado, agora hipnoterapeuta. A falta de sentimento de realização pessoal, levou o terapeuta a padecer de uma crise de ansiedade que o despertou para a realidade desejada. Desta forma, Diogo Coelho optou por se formar inicialmente através do curso Mindfulness baseado em Terapia Cognitiva (MBCT). Perdurando a sua admiração pela área, tornou-se instrutor de meditação e mindfulness, onde, mais tarde veio a manifestar o seu interesse pela hipnoterapia, finalizando por se formar nesta terapia com o Dr. Alberto Lopes, a que se seguiu o convite para o hypnogenesis, hipnose como complemento no tratamento de doenças. É “algo que me orgulha por ser uma das 20 pessoas em Portugal certificados para o fazer.”, acrescenta o hipnoterapeuta.

Poderá ter acesso à versão integral deste artigo na edição impressa de 9 de março ou no formato digital, subscrevendo a assinatura em https://oregional.pt/assinaturas/

84 Recomendações
439 visualizações
bookmark icon