Sociedade

Revolução escancarada nas páginas de O Regional’

• Favoritos: 17


Até à revolução de abril, a liberdade de expressão não existia. O mesmo acontecia na imprensa com o lápis. “A democracia, Os Irresponsáveis, e os Vira-casaca” foi a primeira reportagem nas páginas de ‘O Regional’ que se destacava a 4 de maio de 1974.

Qualquer notícia que falasse de suicídios, crimes ou violações, era cortada de uma ponta à outra para não alarmar a população. Com a revolução de abril, os jornais livraram-se das amarras da censura e desengasgaram o que durante 40 anos tinham atravessado na garganta. Durante as décadas em que António de Oliveira Salazar governou sozinho os país, os jornais estavam subordinados às decisões dos capitães que trabalhavam na comissão nacional de censura à imprensa.
Com o eclodir da revolução de abril, o histórico ‘O Regional’ passou a dar largas à liberdade de expressão. Em maio de 1974, Pedro Ferreira da Silva, colaborador na altura naquele que era o único jornal em S. João da Madeira, assinava a manchete dessa edição (1573), com um artigo a que lhe deu o título de “A democracia, Os Irresponsáveis, e os Vira-Casacas”. Era esta a primeira referência, neste jornal, da revolução em abril de 74. A reportagem foi acompanhada de uma foto que mostrava a Junta de Salvação Nacional, presidida pelo General António de Spínola. Era ainda possível observar os generais Costa Gomes, Diogo Neto, Brigadeiro Jaime Silvério Marques, o Coronel Galvão de Melo, Capitão de Mar e Guerra Pinheiro de Azevedo e o Capitão-de-fragata Rosa Coutinho.
Pedro Silva escrevia na altura que “não será minha intenção vir historiar o que se passou neste País desde o dia 25 de abril. Tudo isto é já do conhecimento de todos, e muitos são os que se têm pronunciado publicamente sobre o assunto”. Estas foram as primeiras palavras deste sanjoanense sobre a revolução dos cravos. “Venho, sim, tentar fazer uma análise ao que se passou no dia 1.º de maio aqui em S. João da Madeira, e que será, talvez, uma amostra do que se passou nas zonas menos desenvolvidas, no espectro cultural, em todo o país”.

Ar­tigo dis­po­nível, em versão in­te­gral, na edição nº 3840 de O Re­gi­onal, pu­bli­cada em 22 de abril de 2021.

17 Recomendações
14 visualizações
bookmark icon