Sociedade

Provedor anuncia nova Unidade de Cuidados Continuados

• Favoritos: 90


A Unidade de Cuidados Continuados, com 64 camas de capacidade, vai ser implementada no terreno a sul do hospital de S. João da Madeira

Em 30 de novembro findo, sob a presidência de Castro Almeida, reuniu-se, pela segunda vez no ano, a assembleia-geral da Misericórdia, convocada para discutir e votar o plano de atividades e o orçamento para 2024. No Salão Nobre da Irmandade o Provedor, José António Pais Vieira, dirigiu-se aos Irmãos começando por denunciar a dificuldade que houve em construir um orçamento pois “debatemo-nos com muitas incógnitas, que numa sociedade bem governada, não deveríamos de ter de enfrentar”, exemplificando com a inexistência de quaisquer orientações do Governo quanto ao aumento das verbas transferidas ao abrigo da cooperação com o Estado, e que representam mais de 50% das receitas da instituição. Esta situação repete-se todos os anos, sendo os gastos aumentados imediatamente, como sucederá, já em janeiro de 2024, com os custos da alimentação, salários, e outros bens e serviços. “Com estas condicionantes, fizemos o nosso trabalho com consistência e pensamos que a realidade vai confirmar muitas das nossas previsões (e que poderemos) voltar a apresentar, no final do ano, contas equilibradas e até um saldo residualmente positivo”.
Depois, e olhando para os investimentos, o Provedor fez a mais importante revelação da noite: a submissão pela Mesa Administrativa, de candidatura ao PRR, pretendendo a instalação de uma nova Unidade de Cuidados Continuados, com 64 camas de capacidade, a implantar no terreno a sul do hospital de S. João da Madeira, com entrada pela Rua Manuel Luís Leite Júnior. O projeto estava exibido em diversos painéis expostos no Salão Nobre, para melhor perceção da sua arquitetura, revelando um edifício moderno e funcional. O investimento é superior a quatro milhões de euros, tendo merecido declarações de interesse emitidas pelos Presidentes da Câmara Municipal de S. João da Madeira e do Centro Hospitalar de Entre Douro e Vouga. O Provedor lembrou que a instalação de uma Unidade de Cuidados Continuados em edifício autónomo e adequado, “é uma forte aspiração da nossa Misericórdia, e que foi sempre um sonho acarinhado por todos os provedores e mesários nestas últimas três décadas”, desde Manuel Pais Vieira Júnior, ambição pobremente concebida no tempo do 10.º provedor, por se ter preterido um terreno “espaçoso e bem localizado” que a autarquia cedia. O resultado da candidatura deverá ser conhecido até meados de fevereiro de 2024, devendo o equipamento entrar em funcionamento em janeiro de 2026.

Poderá ter acesso à versão integral deste artigo na edição impressa n.º 3965, de 7 de dezembro ou no formato digital, subscrevendo a assinatura em https://oregional.pt/assinaturas/

 

90 Recomendações
263 visualizações
bookmark icon