Sociedade

Crédito Pessoal - O Que É e Para Que Serve?

• Favoritos: 16


É seguro dizer que maioria das pessoas já pensou em pedir um empréstimo. Na verdade, a necessidade de avançar com esse pedido é algo que acaba por acontecer, quer por situações inesperadas, por compras que teriam um grande impacto no orçamento mensal ou por se querer seguir com alguns projetos que, de outra forma, não seriam possíveis de se realizarem. Por exemplo, pode ser preciso pedir um financiamento para conseguir com a compra de uma televisão ou para abrir um negócio. E estas situações seriam bem mais complicadas de se concretizarem sem um serviço destes.

O produto financeiro que regista mais pedidos é o crédito pessoal. Apesar de os dois primeiros meses de 2021 estarem a registar um montante solicitado menor de crédito ao consumo, o Banco de Portugal, no Inquérito aos Bancos sobre o Mercado de Crédito, prevê que a quantidade de pedidos de empréstimos por particulares sofra um “ligeiro aumento”.

De forma a aumentar a literacia financeira, serão apresentados os tipos de crédito pessoal e as suas características, assim como maneiras de garantir que um pedido seja aprovado pelas entidades regularizadas.

O Que É Um Crédito Pessoal?

Este tipo de produto financeiro serve para financiar qualquer que seja a necessidade do cliente, sendo que, ao tratar-se de um empréstimo, terá custos de crédito associados para além do valor solicitado. Atualmente, um crédito pessoal engloba financiamentos até 75 mil euros, em que o reembolso pode ser feito ao longo de, no máximo, 84 meses.

Esta acaba por ser a solução mais flexível e com menos burocracias. Isto porque não existe a necessidade de revelar ao banco ou instituição financeira para que é que precisa do dinheiro. Além disso, é o empréstimo em que se consegue uma aprovação mais rápida precisamente por não serem exigidas explicações nem provas da finalidade do crédito (ao contrário de um crédito habitação, por exemplo).

Assim, este é o crédito mais solicitado quando existe uma certa emergência para avançar com alguns pagamentos. No entanto, há que ter em atenção o aspeto mais importante segundo os critérios do Banco de Portugal. É que só se devem pedir empréstimos urgentes junto de instituições ou intermediários de crédito aprovados pelo regulador (que podem ser verificados nesta lista).

Além disso, é possível ter um crédito pessoal mais rapidamente, pois as entidades já permitem que os pedidos sejam feitos de forma online. Assim, existem menos tempos de espera envolvido em cada processo e já não são precisos deslocamentos, algo importante a evitar durante a pandemia atual.

Mesmo com estas vantagens, pedir um crédito pessoal não deve ser uma medida para ser tomada de ânimo leve. Afinal, representará mais uma despesa ao final do mês. Mesmo assim, se essa fatura significar que os restantes custos mensais serão sempre pagos a tempo e horas, poderá ajudar mesmo a equilibrar o orçamento. Por isso, há que conhecer bem todos os tipos de crédito que existem no mercado e quais é que se ajustam a certas necessidades.

Tipos de Crédito Pessoal

É verdade que não é obrigatório dizer ao banco o que se pretende fazer com o dinheiro solicitado. Mas existem vantagens em o fazer caso a finalidade se enquadre num dos tipos de crédito pessoal disponíveis junto das instituições financeiras. Como as entidades verificaram que muitos dos clientes partilhavam algumas necessidades, que eram a causa de pedirem um empréstimo desta natureza, criaram soluções específicas com condições feitas especialmente para estes objetivos.

Como cada um destes propósitos pode atingir quantias mais avultadas do que outras, são aplicadas taxas de juro distintas de forma a ser oferecido um crédito mais adaptado ao cliente. Assim, poderá ser conseguida uma melhor proposta caso se conheça toda a oferta disponível no mercado e se façam comparações entre diferentes instituições financeiras, já que cada uma tem disponível tipos de crédito pessoal diferentes.

Crédito ao Consumo

Dentro deste sector, estão incluídos créditos para serem utilizados para os gastos da vida quotidiana, como é o caso da aquisição de produtos cujo valor é relativamente elevado e, portanto, mais difíceis de seguir com o seu pagamento “de uma vez”.

Algumas entidades financeiras poderão ter este tipo de crédito como um empréstimo para eletrodomésticos, aparelhos informáticos ou mobílias. Assim, o pagamento destes produtos é facilitado com o processo de pagamento em prestações, em vez de liquidar o montante total quando é feita a compra.

Férias ou Viagens

Muitos destinos requerem dinheiro que nem sempre se tem disponível. Por isso, caso seja preciso um montante extra para se realizar uma viagem, quer seja para um destino mais distante ou para ter uma estadia que contenha todas as despesas incluídas, poderá ser boa ideia pedir um crédito com esta finalidade.

Nem todos os bancos oferecem um empréstimo que se destine apenas a férias, mas muitos já têm soluções que englobam seguros de viagem (caso precise) e outros tipos de despesa como diferentes transportes e visitas que se pretendem fazer.

Obras

Em caso de algum estrago, emergência ou apenas pela mudança dos gostos pessoais, pode ser preciso recorrer a obras em casa. Porém, os pedidos de orçamento para tais procedimentos podem colocar esses planos em pausa.

Para se avançar com reparações ou redecorações em casa, este crédito é feito para assumir os custos com toda a construção, mão-de-obra e até com a mobília que se pretende substituir.

Formação

Neste caso específico, é solicitada uma declaração que comprove a inscrição do cliente ou de alguém do agregado familiar num curso superior ou numa formação executiva numa entidade aprovada pelo banco. Assim, este crédito serve para licenciaturas, pós-graduações ou mestrados, tanto nacionais como internacionais.

Saúde

Já este crédito serve para pagar despesas na área da saúde, quer sejam situações previstas ou inesperadas. Poderá ser usado caso o cliente necessite de pagar determinadas contas médicas antes da liquidação do prémio do seguro de saúde ou para pagar a conta do hospital de um membro da família.

Em todas estas situações, as entidades financeiras irão exigir que certos requisitos sejam cumpridos para aprovarem estes financiamentos. É que as instituições vão sempre querer a garantia de que os pagamentos das prestações de crédito são cumpridos. Portanto, será obrigatório apresentar uma situação financeira regularizada. Ou seja, sem dívidas pendentes nem prestações de crédito por pagar. Além disso, irá ser pedido que seja apresentado um comprovativo de rendimentos e que estes sejam declarados em Portugal.

Para que os pedidos sejam aprovados mais rapidamente, o ideal será enviar toda a documentação exigida pelas entidades o mais rápido possível.

 

16 Recomendações
73 visualizações
bookmark icon