Sociedade

A liberdade de viver o carnaval em abril 

• Favoritos: 59


Condições atmosféricas adversas não permitiram a realização do evento em fevereiro. Os cerca de 1500 participantes acabaram por sair à rua neste mês de aniversário da Revolução dos Cravos, um reagendamento feliz, pois a Liberdade foi o tema do corso

As nuvens ainda voltaram a ameaçar a saída do Carnaval das Escolas de S. João da Madeira, na manhã do último sábado, fazendo pairar no ar a possibilidade de um terceiro cancelamento, depois de 10 e 11 de fevereiro e de 6 de abril.
No entanto, o desfile saiu mesmo e, apesar de alguma chuva se ter acabado por fazer sentir, chegou a bom porto, que é como quem diz chegou à Praça Luís Ribeiro, onde culminou com muita música e dança, como vem acontecendo nos últimos anos.
Tendo por tema a Liberdade, o evento acabou por decorrer, excecionalmente, a poucos dias da data em que se celebram os 50 anos do 25 de Abril, efeméride bem presente nas fantasias, nas quais se destacavam os cravos.
“A realização, no último sábado, do Carnaval das Escolas, dedicado ao tema da Liberdade, acabou por se traduzir numa aproximação feliz, também na data, à celebração do 25 de Abril, cujo 50º aniversário se assinala esta semana”, realçou o presidente da Câmara, a propósito do evento.
Felicitando todos os participantes e agradecendo a quem contribuiu para a realização do desfile, Jorge Vultos Sequeira considerou que “foi importante, em articulação com as entidades participantes, ter sido possível proporcionar a realização do evento e a oportunidade de os diferentes grupos mostrarem a sua criatividade”.

“O melhor carnaval”

Depois de “adiamentos justificados”, a realização do Carnaval das Escolas “resultou numa explosão de cor, de animação e de muita alegria”, afirmou, por seu lado, a vereadora Irene Guimarães, destacando que “o tema da liberdade desfilou pelas avenidas da nossa cidade”.
Um evento “enfeitado com muitos cravos levados pelas mãos, algumas delas muito pequeninas, e de perfeitas e muito bem conseguidas alusões aos 50 anos do 25 de abril, marco tão importante da nossa história”, salientou a responsável pela área da educação na Câmara de S. João da Madeira.
“Para mim, foi o melhor carnaval de sempre, nas suas 41 edições: pelo simbolismo do tema, pela representatividade dos seus intervenientes que tão bem dele se souberam apropriar e pelas lições que foram transmitidas não só no cortejo mas, também e com toda a certeza, nos seus muito ricos momentos preparatórios, permitindo uma abordagem pedagógica e de aprendizagem”, enfatizou Irene Guimarães.
“Estamos muito felizes e gratos pelo resultado final e agradecemos, de forma especial, a todas as pessoas que nele se envolveram”, concluiu a vereadora da Educação.

“Referência ao Lápis Azul”

Com um grupo de animação circense convidado especial da edição deste ano na frente, foram cerca de 1500 os participantes nesta 41ª edição do evento, a maioria crianças e jovens das escolas de S. João da Madeira.
Catarina Sousa era uma dos milhares de pessoas que assistiam ao desfilhe de Carnaval. “Acho que a temática dos 50 anos da revolução é muito pertinente e, por coincidência, apesar do adiamento, acabou por calhar precisamente no fim de semana anterior ao 25 de Abril”. Enquanto aguardava pela passagem das duas sobrinhas explicou que curiosamente achava que “ia ver mais disfarces de capitães de Abril, mas as escolas optaram mais pelos cravos. Os miúdos vestidos de ardinas e de Celeste Caeiro, a senhora que distribuiu os cravos pelos militares, estavam muito giros”.
Esta sanjoanense enfatizou o seu agrado pela referência ao Lápis Azul, “com uma página do Expresso toda censurada. De resto, só acho que falta um bocado de dinâmica ao longo do desfile, achei o cortejo muito parado”.

59 Recomendações
121 visualizações
bookmark icon