Presidente da Câmara de S. João da Madeira visitou obra desejada há duas décadas

Presidente da Câmara de S. João da Madeira visitou obra desejada há duas décadas

Investimento de cerca de 2,7 milhões de euros (acrescidos de IVA), que inclui requalificação e ampliação das oficinas, substituição das coberturas em amianto e criação de elevador.

Os trabalhos que marcam o arranque da empreitada de requalificação da Escola Secundária Dr. Serafim Leite, em S. João da Madeira, receberam a visita do Presidente da Câmara, que considera tratar-se da “obra mais desejada” na cidade “nas duas últimas décadas”, no que foi corroborado pelos responsáveis do estabelecimento de ensino, que o acompanharam. Jorge Vultos Sequeira sublinha, por isso, que estes trabalhos constituem “um marco muito importante” para a Educação no município.
A deslocação do autarca à obra, que se encontra em fase de arranque, na mais antiga escola secundária de S. João da Madeira realizou-se nesta terça-feira, tendo contado também com a presença da vereadora da Educação, Irene Guimarães, e do vice-presidente da Câmara, José Nuno Vieira, além de técnicos do município e de representantes do empreiteiro a quem os trabalhos foram adjudicados por 2.655.780,00 euros (acrescidos de IVA), na sequência de concurso público lançado pela autarquia.
 Como foi explicado durante a visita, os trabalhos, que “decorrem em bom ritmo e têm um prazo de execução de 540 dias”, vão incidir na reabilitação das oficinas atuais e na construção de um novo volume de três pisos, no qual se prevê que funcionem, nomeadamente, espaços dedicados ao ensino de artes e de informática.
 O projeto, elaborado por técnicos da Câmara Municipal contempla ainda a remoção das coberturas com amianto ainda existentes na escola, nomeadamente no pavilhão desportivo e no bloco principal, onde vai ser criado também um elevador, o que, juntamente com a criação de rampas, virá melhorar as condições de mobilidade e acessibilidade da comunidade educativa.
Recorde-se que, no âmbito da reprogramação do Portugal2020, a Câmara Municipal conseguiu, no final de julho do ano passado, o reforço em cerca de 600 mil euros do financiamento comunitário para esta obra, que é comparticipada a 85% por fundos europeus, sendo a verba restante assegurada em partes iguais pelo Estado e pela autarquia sanjoanense.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.