“População continua a abrir a porta a estranhos”

“População continua a abrir a porta a estranhos”

Os idosos são um dos maiores alvos de burla. A PSP de S. João da Madeira foi ensinar os mais velhos a identificarem situações de burla, aconselhar para a adoção de medidas preventivas e de autoproteção, quer em casa, quer na via pública, com o objetivo de reduzir situações de risco, e conseguir, deste modo, um maior sentimento de segurança junto desta população.

A agente Sílvia Rosa foi o principal rosto da iniciativa, realizada na passada sexta-feira, dia 5, dirigida à população sénior do Bairro do Orreiro, em S. João da Madeira.
As mensagens que tentou passar na Sala do Espaço Vida daquele Bairro eram simples, mas, por aquilo que os populares iam contando, a maioria das vezes não é posta em prática, como o simples não abrir a porta a desconhecidos. Regras que devem ser cumpridas quando se está em casa, na via pública, nos correios, no banco, falar da própria vida pessoal junto de pessoas que não conheçam, não usar objetos de grande valor na rua, foram descritas ao pormenor e repetidas, para que sejam na verdade aplicadas e nunca esquecidas.
Filomena Ferreira conhece todos estes perigos mas, mesmo assim, “não aprendo e continuo a abrir a porta a pessoas que não conheço”, confessou a ‘O Regional’. “Passo muito tempo sozinha e, quando aparece alguém, não me lembro que pode ser uma pessoa para me fazer mal”, pois, na verdade, a vontade de falar ou de estar com alguém faz com que não “pense duas vezes antes de abrir a porta a desconhecidos”.
Rosa Gomes, de 84 anos, foi uma das primeiras a chegar ao local. “Aprendemos sempre qualquer coisa de novo aqui” e lamentou a ‘O Regional’ que muitas pessoas que convidou para a acompanharem lhe deram como resposta: “é sempre a mesma coisa, não vamos para lá fazer nada”. Está consciente da importância da PSP e destas sessões na vida dos idosos, uma vez que já teve pessoas “duvidosas” a baterem-lhe à porta. “Mais do que uma vez, foram lá pessoas que se identificavam como funcionários da EDP, pediam para abrir a porta, mas eu dizia sempre que os meus filhos é que tratavam do assunto, para virem mais tarde” e o certo é que “nunca mais apareciam”.
Rosa gosta de colocar em prática aquilo que aprende. “A PSP deu-me um cartão com o número de telefone da Polícia, dos Bombeiros e do Centro de Saúde” e guarda-o religiosamente para uma possível “situação de emergência”, enfatizou.

“População continua a abrir a porta a estranhos”

A agente Sílvia Rosa na palestra realizada na passada sexta-feira, dia 5

O certo é que todas as pessoas ali presentes conheciam estas regras, mas “o problema é que nem sempre as cumprem”, daí a importância destas sessões de sensibilização, para que “percebam mesmo estas regras e que as coloquem em prática”, reforçou a agente.
A PSP de S. João da Madeira está cada vez mais atenta à situação dos idosos que residem em S. João da Madeira, e a prova disso são as várias campanhas que tem realizado, através do Programa de Policiamento de Proximidade. Idosos mais atentos e cautelosos, mais informados, quanto aos “estratagemas utilizados pelos burlões, também a nível nacional”.
Quanto a situações de burla em S. João da Madeira, essas também acontecem. “Burlas de ouro, contas de água e muitos casos de luz e, infelizmente, a população idosa continua a abrir a porta a pessoas estranhas”, alerta Sílvia Rosa.

António Gomes Costa

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

  Subscribe  
Notify of