Política

PS vence na terra de Pedro Nuno

• Favoritos: 58


Em S. João da Madeira, o Partido Socialista conquistou 38,33% e a Aliança Democrática 29,31%. O Chega foi a terceira força mais votada, conquistando 12,94%. O Bloco de Esquerda, desta vez, não conseguiu eleger parlamentares.

A vitória do Partido Socialista (PS), na terra de Pedro Nuno Santos, S. João da Madeira, é fruto de 4.990 votos (38.33%), contra os 3.911 (30,04%) conquistados pela Em S. João da Madeira, o Partido Socialista conquistou 38,33% e a Aliança Democrática 29,31%. O Chega foi a terceira força mais votada, conquistando 12,94%. O Bloco de Esquerda, desta vez, não conseguiu eleger parlamentares. , que junta PSD, CDS-PP e PPM (AD).
No concelho, constituído por apenas uma freguesia, votaram 68% dos eleitores, sendo 13.343 votantes de um total de 19.533 inscritos. A abstenção foi de 32% (6.190). O Chega, com liderança de André Ventura, foi a terceira força partidária mais votada, com 13.26 % votos (1.726), seguindo-se, a Iniciativa Liberal (IL) com 5,66% (737), o Bloco de Esquerda (BE) com 4.58% (596) e o Livre com 2,73%, o que corresponde a um total de 356 votantes). A CDU surge em sétimo lugar com 1,81 %, o que corresponde a uma soma de 236 votos. No concelho de S. João da Madeira, votaram 13.343 eleitores (68,30% dos 19.533 inscritos). Verificaram-se ainda 185 votos em branco e 140 nulos.
Relativamente ao distrito de Aveiro, a que pertencem os dois principais candidatos, que estavam na corrida para primeiro-ministro, Pedro Nuno Santos, de S. João da Madeira, e Luís Montenegro, de Espinho, os resultados conquistados pela Aliança Democrática (AD) fixaram-se nos 35,13 % dos votos, elegendo sete deputados (Emídio Sousa, Silvério Regalado, Ângela Almeida, Salvador Malheiro, Almiro Moreira, Paula Cardoso e o sanjoanense Paulo Cavaleiro). O Partido Socialista (PS) ficou em segundo lugar, com 27,69 % dos votos, e cinco mandatos (o sanjoanense Pedro Nuno Santos, Cláudia Santos, Filipe Neto Brandão, Hugo Oliveira e Susana Correia). De salientar que o PS, foi o partido vencedor em 2019 e em 2022, passa, com estes resultados, para segundo lugar no distrito, e perde três deputados.
A grande surpresa destas eleições, à semelhança do que aconteceu a nível nacional, foi o Chega, que conseguiu eleger três deputados pelo distrito, com a continuidade de Jorge Valsassina Galveias, a que agora se juntam Maria José Aguiar e Armando Grave, somando 17,25 % dos votos. A Iniciativa Liberal conquistou um deputado (Mário Amorim Lopes) e 5,11% dos votos.
Relativamente ao Bloco de Esquerda (BE), a quinta força política mais votada no distrito, com 4,10% dos votos, mas que não permitiram recuperar a representação que já teve na Assembleia da República (dois deputados em 2019). O Livre registou 2,24 % dos votos, o PAN 1,72 % e a CDU 1,38 %.

 

58 Recomendações
130 visualizações
bookmark icon