Política

Aumento “crescente” de arrumadores de carros sem licença preocupa

• Favoritos: 18


Coligação PSD/CDS está preocupada com a presença “crescente e visível” de arrumadores de carros na cidade. Rodolfo Andrade afirma que muitos não cumprem requisitos para obter licença e que o problema é de difícil resolução.

A presença de arrumadores de carros na cidade é “crescente e visível” e preocupa a Coligação A Melhor Cidade do País, que abordou o tema na última assembleia de freguesia. “Porque é da segurança dos fregueses que se trata”, António Falcão questionou o executivo sobre o número de arrumadores licenciados em 2023, apontando que, dada a falta de estacionamento, os mesmos “até são obrigados a fazer turnos para se revezarem”. O deputado considerou pertinente saber “qual a sua situação económica” e se auferem algum apoio de alguma instituição estatal, interrogando a junta de freguesia se tem um plano de ação “para pôr fim a este flagelo”. “Tem este executivo algum programa de acompanhamento e reintegração destes indivíduos”, questionou António Falcão, deixando no ar a pergunta: “Estarão à espera que façamos vista grossa e que deixemos passar em branco esta situação?”. O deputado acrescentou que “os sanjoanenses não devem nem podem ser sobrecarregados com mais este incómodo”, de “permanentemente estarem a ser interpelados e intimidados” sempre que estacionam na cidade.

“Sentimento de insegurança na cidade”

Pedro Neves, que admitiu que não tinha previsto uma intervenção, decidiu usar da palavra para falar de outra preocupação da Coligação PSD/CDS. “Creio que se tem notado um sentimento maior de insegurança na cidade, isso é visível. Já me apercebi, já aconteceu com gente da minha família um conjunto de situações, nomeadamente de abordagens de indivíduos com grande grau de agressividade, não sei se fruto de estarem a ressacar de um problema de toxicodependência”, descreveu. Por isso mesmo, considera oportuno conhecer os números de criminalidade na cidade, questionando o executivo se tem esses dados ou se pode obtê-los junto das forças de segurança. Perguntou, também, se há uma estratégia delineada entre município, junta e forças de segurança para acompanhar e intervir nestas situações.
O presidente da Junta de Freguesia, Rodolfo Andrade, começou por separar as águas entre arrumadores e criminalidade. “Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Infelizmente, a alguns arrumadores estão associados alguns episódios de violência”, reconheceu o autarca. “A licença que a junta emite não vai impedir que esse episódio de violência aconteça ou deixe de acontecer. A licença é competência da junta, o combate à violência é competência da PSP, ao qual a junta de freguesia e a câmara devem estar atentos”, declarou.e e Rodolfo Andrade deixou a garantia: “Trarei cá esse balanço na próxima assembleia”.

Poderá ter acesso à versão integral deste artigo na edição impressa n.º 3987, de 9 de maio de 2024 ou no formato digital, subscrevendo a assinatura em https://oregional.pt/assinaturas/
18 Recomendações
comments icon0 comentários
0 favoritos
62 visualizações
bookmark icon

Escreva um comentário...

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *