Pista de cross Alberto Batista “está destruída pelo tempo”

Pista de cross Alberto Batista “está destruída pelo tempo”

Ainda não foi inaugurada, mas o tempo tem vindo a destruir a pista de cross Alberto Batista, em Fundo de Vila. Moradores apontam o dedo quanto à conclusão da obra e escolha dos materiais, mas a autarquia garante estar em curso um projecto para garantir a “estabilidade dos taludes”.

Autarquia garante estar a trabalhar para garantir a “estabilidade dos taludes”

Alguns populares de Fundo de Vila, em S. João da Madeira, acusam o Município de S. João da Madeira quanto à conclusão e qualidade na escolha dos materiais para as obras da nova pista de cross Alberto Batista, em Fundo de Vila. “Não fazem nada para a retenção das terras. Isto arrasta-se há meses, não tem fundamento algum. Antes de ser inaugurada, a pista já está toda destruída pelo tempo”, asseguram.
Apesar de considerarem que as obras até “têm um projeto bonito e que valoriza esta zona da cidade”, revelam que o mesmo “não foi bem pensado, pois os materiais utilizados não são os mais adequados”.
Aureliano Silva vive em frente a este espaço e também é uma das vozes descontentes. “Os passeios estão mal feitos, o pó de cimento utilizado nos passeios está a sair todo e aquilo que encontramos agora são buracos, pois, quando chove, a água arrasta tudo e ninguém faz nada para resolver este assunto”, critica.
Este morador diz ainda que o espaço nunca conheceu a relva prometida. “Está tudo em terra batida, a madeira que divide os passeios está a sair e a ficar podre e é só ratos por aqui”. A juntar a tudo isto, “um caixote do lixo já está no chão. Não sabemos se foi vandalismo ou a estrutura não o segurou”, enfatiza.

Autarquia quer encontrar “solução definitiva”

Na reunião de Câmara da passada terça-feira, dia 8, Jorge Vultos Sequeira, presidente da Autarquia de S. João da Madeira, assegurou que o município está atento ao problema, estando neste momento a averiguar “se o empreiteiro cumpriu ou não o caderno de encargos” no que concerne às “especificações da compactação de terras”, com vista a tentar perceber se existiu alguma irregularidade no cumprimento do contrato.
Relativamente a esta obra, o autarca disse também que o município quer encontrar uma “solução definitiva para este problema”, que se vem arrastando, e que “está a ser acompanhado” por técnicos da autarquia. O chefe máximo do executivo frisou ainda que, neste momento, já estão a ser discutidas “questões técnicas para resolver essa matéria”, que se prendem com um projecto para garantir a “estabilidade dos taludes”.
O assunto em reunião de Câmara foi suscitado pelo vereador da coligação PSD/CDS, Paulo Cavaleiro, que fez uma “chamada de atenção” para esta questão, criticando a demora na resolução deste problema.
Recorde-se que a atribuição do nome de Alberto Batista à nova pista de cross foi aprovado por unanimidade em Setembro do ano passado, na Câ­mara Municipal de S. João da Madeira. Trata-se de um projeto iniciado pelo Município anterior liderada pela coligação PSD/CDS e que foi concluído pela atual câmara liderada pelos socialistas.
Esta proposta de denominação da pista de cross recorda e destaca o facto de Alberto Batista, através dos Serviços Sociais do Município, ter encontrado «a forma para desenvolver um projeto, em torno do atletismo, trabalhando com jovens de Fundo de Vila e do Orreiro, muitas vezes acolhendo-os como da própria família se tratassem», dava conta na altura o município.
Alberto Batista faleceu em Janeiro do ano passado.

António Gomes Costa

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

  Subscribe  
Notify of