Opinião

Hortalices - A(s) horta(s) de Casaldelo

• Favoritos: 80


E se existe algum lugar em S. João da Madeira onde havia férteis hortas é Casaldelo.

Depois de uma volta pelas hortas de S. João da Madeira, apercebi-me de uma falha grave. Faltava Casaldelo. E se existe algum lugar em S. João da Madeira onde havia férteis hortas é Casaldelo. A cidade industrial nasceu e cresceu no centro, depois foi-se transferindo para sul e para nascente, para as modernas zonas industriais. Talvez graças à sua orografia e à presença de velhas casas senhoriais e palacetes, Casaldelo foi escapando à energia industrializadora da cidade. Algumas dessas casas tinham quintas, com caseiros que tratavam da faina agrícola. Casaldelo foi mantendo esse ar rural. Ainda hoje, quando olhamos aquela enorme mancha verde, até podemos imaginar agricultores e hortelãos labutando por ali. Mas não! Em Casaldelo pode haver pequenos quintais escondidos atrás dos muros, mas só há uma verdadeira horta em atividade: a senhora Fernanda Marques e o senhor Evaristo Cardoso são os fiéis guardiões do passado agrícola de Casaldelo.  A sua quinta respira atividade agrícola, apesar de a produção de carne bovina ser a única atividade com caraterísticas comerciais. O resto é essencialmente para a sobrevivência da família e para não deixar os terrenos por cultivar, “herança dos meus pais”, diz-nos a senhora Fernanda. Mais acima, as urbanizações vão crescendo, “também já ali houve uma quinta”, lembra-nos o senhor Evaristo.
Na internet, o texto “A nossa escola”, da EB/JI de Casaldelo, reza assim: “Nas avenidas circulam veículos modernos que se cruzam com raras carroças puxadas por animais, tratores e carros de mão com lenha. Muitos avós cultivam os seus campos, tratam dos seus animais e ainda têm tempo para vir dar um bom dia aos netos que brincam na escola que um dia também foi deles.”
Mas as carroças são cada vez mais raras e os avós cada vez menos. Só a D. Fernanda e o Sr. Evaristo continuam a tentar que Casaldelo permaneça um oásis campestre, dentro da S. João da Madeira das fábricas e dos escritórios.

Nota: No próximo dia 16 de setembro, três instituições de solidariedade - Rotary Club, Liga Portuguesa Contra o Cancro e Lions Club – vão levar a cabo uma Caminhada Solidária pelo território de Casaldelo. Talvez não visitem a quinta da D. Fernanda e do Sr. Evaristo, mas quem quiser acompanhar o professor Daniel Neto levará muito que contar. As inscrições podem ser feitas junto das instituições em causa.

80 Recomendações
228 visualizações
bookmark icon