Opinião

Está impossível morar em São João da Madeira

• Favoritos: 73


Basta fazer uma rápida pesquisa nos sites de imobiliárias para perceber que em São João da Madeira a especulação está a destruir o direito à habitação.
No Idealista, um T2 com 81m2 está a 800€. É um terceiro andar sem elevador, mas que se podia exigir mais por uma bagatela destas? Já no ImoVirtual um T3 em São João da Madeira chega aos 900€ mensais e até no OLX se pede 700€ por um T2 em Arrifana.
Se pensa que, posto isto, a solução é comprar, pense duas vezes: o aumento dos juros da habitação fez aumentar as prestações em 50% ou mais. Para além disso, em São João da Madeira já se transacionam apartamentos a 250 mil, 300 mil e, sim, até a 650 mil euros.
Hoje é praticamente impossível morar em São João da Madeira. Todos os jovens o sabem porque não têm dinheiro para sair de casa dos pais; todas as famílias o sabem porque mesmo com dois salários não conseguem encontrar casas que consigam pagar; todas as pessoas com quebra de rendimento o sabem porque muitos sentem a ameaça do despejo e da vida na rua.
Até o arrendamento de quartos, senhoras e senhores! Até no arrendamento de quartos perderam a cabeça. Na Rua Camilo Castelo Branco há um quarto a 350€ por mês, na Avenida Benjamim Araújo a 290€… Um T20 (sim, um imóvel com 20 quartos) anuncia o aluguer de quartos ao mês por uns cómodos… 750€. Não sou eu que o invento. Convido todas e todos a verem com os seus próprios olhos no Idealista, no OLX, no ImoVirtual ou em qualquer outro site da vossa preferência.
É uma especulação absurda, com consequências dramáticas e que deveria se combatida. Ora, é aí que reside o problema. É que nem Câmara Municipal nem Governo parecem estar minimamente interessados em pôr um travão a este abuso.
Aliás, começa a ser confrangedor assistir à inação da Câmara Municipal no que toca a políticas de habitação. O PS está há 6 anos à frente da Câmara Municipal de São João da Madeira e a única coisa que tem para mostrar são projetos para 11 fogos aqui, para meia dúzia de casas ali, para 2 apartamentos de autonomização acolá, para 1 reabilitação acoli.
Repare-se que a Estratégia Local de Habitação identificou mais de 200 pedidos para habitação social no concelho, mais de 700 famílias a viver em alojamentos sobrelotados e 184 edifícios muito degradados a necessitar de grandes reparações. Os anúncios que a Câmara Municipal são, para além de anúncios, uma formiga ao lado deste enorme mostro que é a crise da habitação.
O que falta é vontade. Vontade para resolver os problemas da habitação e fazer baixar as rendas.
Existem 1000 fogos devolutos na cidade. E se os usássemos para garantir casas com rendas baixas? Há cada vez mais construção na cidade. E se se fixasse uma quota de 25% de toda a nova construção para rendas a custos controlados? Há uma falta gritante de habitação social. E se se fizesse nova construção pública para disponibilizar, não meia dúzia, mas várias dezenas de casas a custos controlados?
Não é tão difícil assim. Difícil é morar em São João da Madeira.

73 Recomendações
558 visualizações
bookmark icon