Opinião

Câmara prepara medidas para mitigar clima de insegurança na noite da cidade

• Favoritos: 13


A Câmara Municipal está a preparar medidas para mitigar o clima de insegurança que se tem vivido na cidade e tem sido frequentemente abordado nos órgãos autárquicos. No fim de semana passado existiram novos desacatos

O vereador Tiago Correia relatou a existência de um episódio ocorrido na rua Padre Oliveira, que foi “extremamente grave, do ponto de vista quer do desacato, quer da autoridade”. “De uma vez por todas, este ano assunto deve ser resolvido, deve-se exigir o efetivo do reforço policial na cidade”, frisou, não só pela segurança na zona dos bares, mas também “na restante cidade”.
“As pessoas não podem continuar a viver e ter um sentimento de insegurança” e é “importante” que seja “exigido ao Governo Central” o reforço de policiais para patrulhar a cidade. No seu entender, este tipo de episódios “tem sido tão recorrente que as pessoas acham que há um sentimento de impunidade, que podem fazer o que querem”.
Jorge Vultos Sequeira confirmou ter conhecimento do episódio e informou que houve “recentemente” uma reunião com proprietários dos bares daquela zona, com a PSP e com a Divisão de Obras Particulares do município. “Foram discutidas as questões em que Câmara pode intervir para mitigar este tipo de comportamentos” informou. “Foi ouvida a opinião dos proprietários dos estabelecimentos que funcionam aí à noite, e, portanto, estamos a preparar as medidas adequadas e necessárias”, acrescentou.
O chefe do executivo referiu ainda que disse, nessa reunião, que “se se justificasse tomaria, como Presidente da Câmara, mesmo antes da aprovação de qualquer regulamento, as medidas cautelares que se tornassem necessárias”.
E salientou que confia na PSP da cidade e sabe “que a situação é acompanhada muito de perto pelo comando local e distrital”. “A PSP faz o seu melhor dentro do quadro legal”, concluiu o edil.
Ainda sobre a segurança na cidade, no período de intervenção do público, Manuel Pinho alertou para zonas “muito escuras”, sobretudo nas rotundas perto do hospital e do centro comercial. Apontou como solução “mandar podar as árvores ou pôr mais luz, para haver segurança para os supermercados e para as pessoas”.

Poderá ter acesso à versão integral deste artigo na edição impressa de 29 de setembro ou no formato digital, subscrevendo a assinatura em https://oregional.pt/assinaturas/

13 Recomendações
44 visualizações
bookmark icon