Obras na Urgência devem ficar concluídas nos próximos dias

Obras na Urgência devem ficar concluídas nos próximos dias

As obras no serviço de Urgência do Hospital de S. João da Madeira devem ficar concluídas até ao final de Janeiro. A decorrem desde 2017, e com vários interregnos pelo meio, parece chegar ao fim uma “dor de cabeça” para o Centro Hospitalar de Entre Douro e Vouga.

Há quem as compare com as obras de Mafra. Os trabalhos na Urgência do Hospital de S. João da Madeira decorrem desde 2017 e, segundo apurámos, devem ficar concluídas até ao final deste mês, voltando “tudo à normalidade”, isto é, o acesso dos utentes volta a ser feito pelo lado da Santa Casa da Misericórdia.
A história é longa e com muitos altos e baixos. As obras pararam em Janeiro do ano passado, por “incumprimento do empreiteiro” contratado. Em Outubro de 2018, os trabalhos foram retomados depois de novo concurso e, além das obras previstas na anterior empreitada, estavam ainda agendados novos trabalhos em espaços contíguos que ampliarão o espaço que, inicialmente, estava previsto intervir.
O certo é que este assunto tem sido uma “dor de cabeça” para o Centro Hospitalar de Entre Douro e Vouga (CHEDV), estrutura que integra, além do Hospital de Santa Maria da Feira, os de S. João da Madeira e Oliveira de Azeméis.
Recorde-se que a intervenção em curso teve sempre como objetivo garantir um maior conforto aos utentes e familiares desta unidade de saúde, já que a mesma não era “funcional” e as obras em curso visavam melhorar a área de entrada na Urgência. A empreitada, orçada em aproximadamente 200 mil euros, é totalmente financiada por fundos próprios do hospital.

Pico da Gripe parece ainda não ter chegado ao Hospital

A Gripe parece ainda não ter chegado mas o frio tem tido já um impacto forte no Serviço de Urgência do Hospital de S. João da Madeira. A afluência a este serviço tem registado “valores esperados para esta época”, referiu-nos fonte Hospitalar de CHEDV.
Numa altura em que a gripe pode entrar numa fase epidémica, a unidade de saúde sanjoanense “tem sentido um ligeiro aumento mas com muitos casos de infeções respiratórias”, mas “não se pode dizer que já existe pico de gripe.” Segundo se sabe, a média de doentes diários nos últimos dias tem rondado os cerca de 130 e o tempo de espera tem sido superior a 45 minutos.
No entanto, no Hospital da Feira tem estado “praticamente esgotada” e o plano de contingência para a gripe já foi ativado no passado fim-de-semana.
Recorde-se que em Portugal é usual atingir-se o pico da gripe em Janeiro e existem sempre planos de contingência a nível dos Centros da Saúde, e dos centros hospitalares.
A Direção-Geral da Saúde reforça a necessidade dos doentes não correrem de imediato para as Urgências solicitando que liguem antes para o SNS24.

António Gomes Costa

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

  Subscribe  
Notify of