O desafio da sustentabilidade dá o mote para a Feira da Ciência

O desafio da sustentabilidade dá o mote para a Feira da Ciência

A 13.ª edição da Feira da Ciência arrancou no passado dia 11, este ano dedicada ao tema da sustentabilidade. O evento decorre até dia 22 de Março, decorrendo no âmbito do programa «Pequenos Cientistas Sanjoanenses», promovido pela Câmara Municipal de S. João da Madeira, e que leva as ciências experimentais aos jardins-de-infância e escolas do 1.º ciclo do concelho. Pela primeira vez, a Feira da Ciência decorre no edifício da Torre da Oliva e, como é já tradição, na tarde de sábado abre portas às famílias.

«Sustentabilidade – O Desafio D» é o mote para a 13.ª edição da Feira da Ciência, que arrancou na passada segunda-feira e decorrerá até dia 22 de Março, sendo esperadas cerca de 2 mil crianças das escolas da cidade.
A Feira da Ciência reúne “actividades que promovem a curiosidade e a divulgação científica”, trabalhando um “conjunto de valores ligados à protecção do meio ambiente, natureza, sustentabilidade, protecção dos oceanos, redução de plásticos e uso de fontes de energia alternativas”, como sublinhou o presidente da Câmara Municipal de S. João da Madeira, Jorge Sequeira, na visita ao evento no dia de arranque.

A Feira da Ciência decorre no âmbito do programa municipal «Pequenos Cientistas Sanjoanenses», uma oferta educativa complementar na área curricular da disciplina de Estudo do Meio, que fomenta a aprendizagem das ciências experimentais, sempre com uma componente lúdica e educativa, junto das crianças das escolas do 1.º ciclo e jardins-de-infância do concelho. Agora, esses mesmos alunos, inseridos nas respectivas turmas, vão poder interagir em diferentes experiências divertidas e pedagógicas, com uma forte componente lúdica, este ano desenvolvidas em torno do tema muito actual da sustentabilidade.
Para o edil, este programa de “educação científica e ambiental voltado para o futuro” alerta para “o potencial da ciência e necessidade de preservar o planeta”.
Este ano, a Feira da Ciência mudou de instalações, deixando a sala do serviço educativo do Museu da Chapelaria, para se instalar no vizinho edifício da Torre da Oliva.
Uma mudança “óbvia” para o presidente da autarquia, Jorge Sequeira, que destaca o “espaço muito mais amplo” da Torre da Oliva, que “permite que decorram sessões em simultâneo sem perturbar”, tendo assim “melhor capacidade de acolhimento”.
“Quando a Câmara leva as suas crianças à Torre da Oliva, aos museus, ao Núcleo de Arte e à Casa da Criatividade está a fomentar hábitos culturais”, defende Jorge Sequeira, considerando ser “muito importante abrir todos estes espaços às crianças” para que “se apropriem dos nossos equipamentos públicos de qualidade”.
Tanto na Feira da Ciência como nas aulas de ciências dinamizadas nas escolas, as actividades são revestidas de carácter prático e experimental, ajudando os alunos a compreender e a interiorizar os conceitos trabalhados ao longo do ano lectivo, proporcionando-lhes a oportunidade de desenvolverem saberes e competências que lhes permitam tomar decisões e agir de forma sensível aos assuntos ambientais e a uma cidadania activa.
O programa é desenvolvido por professores das áreas da Biologia, Geologia, Ciências da Natureza, Física e Química contratados pela Câmara Municipal de S. João da Madeira. A Feira da Ciência é um dos pontos altos do programa.
No sábado, 16 de março, das 14h00 às 17h00, as famílias e o público em geral são convidados a visitar gratuitamente a Feira da Ciência.

Joana Gomes Costa

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

  Subscribe  
Notify of