Município adianta 50% do subsídio de 2021 ao Andebolmania

Município adianta 50% do subsídio de 2021 ao Andebolmania

A organização do Andebolmania, o maior evento desportivo que acontece em S. João da Madeira, que se viu forçada a cancelar a edição de 2020, terá já acesso a 50% do subsídio da edição de 2021. A medida pretende apoiar a associação, que sofreu um forte impacto com a não realização do evento deste ano.

A Câmara Municipal aprovou um adiantamento de 50% do subsídio atribuído à organização Andebolmania – Associação para o Desenvolvimento do Andebol, que representa 7500 euros, para poder apoiar a associação que este ano se viu impedida de realizar o evento, já depois de ter feito muitos investimentos. Os restantes 50% serão pagos em 2021.
Trata-se do maior evento desportivo que acontece em S. João da Madeira, com um impacto económico na cidade estimado em 650 mil euros durante os quatro dias de duração.
Segundo o presidente da Câmara, Jorge Vultos Sequeira, este subsídio “visa compensar esta associação sem fins lucrativos, que organiza o Andebolmania, de despesas que já teve este ano e que tem necessidade de suportar em virtude do cancelamento da iniciativa”. A associação pediu à Autarquia um adiantamento de 50% do subsídio do próximo ano para fazer face às despesas. “E vamos atribuir o valor que nos solicitou. É um esforço financeiro para a Câmara, mas é importante para garantir a vida, subsistência e a retoma deste evento desportivo, que projeta a nossa cidade internacionalmente”, explicou o autarca.
A proposta foi aprovada por unanimidade e Paulo Cavaleiro, vereador do PSD/CDS, reconheceu a sua importância. “Nas propostas que enviámos em março, esta era uma das situações que nos preocupava. Uma coisa são as associações que tinham eventos previstos e com gastos já feitos. Outra são os eventos que não vão acontecer e cuja receita servia muitas vezes para apoiar as associações, como é caso da Cidade no Jardim, onde os bombeiros, por exemplo, angariavam uma receita considerável”, aponta o social-democrata.
Ainda assim, e apesar de concordar com a medida, Cavaleiro recordou que há outras instituições a precisar e que é preciso definir um critério de apoio. “Acho que este assunto tem que ser tratado na sua globalidade. Há outras com problemas idênticos. Tem que haver um critério. Este caso é uma antecipação de um subsídio, é diferente. Mas isto não pode ser de qualquer maneira. Com as devidas diferenças, a Câmara tem que solicitar informações necessárias às associações e depois avaliar”, referiu o vereador da Oposição, que garantiu não estar a discutir os valores atribuídos, mas, sim, os critérios de atribuição.
Contudo, Jorge Sequeira adiantou que “esta proposta é urgente, porque esta associação não tem fonte de financiamento para suportar as despesas”, recordando que “todas as pessoas que trabalham no evento são voluntárias, fazem-no por paixão e por desportivismo”. Mas esclareceu que “teremos que ver caso a caso e verificar a tesouraria das associações para perceber, esse estudo tem vindo a ser feito”. O edil reconheceu ainda que as associações desportivas vão ter muitas reduções de custo e garantiu que não é intenção do Município cortar qualquer financiamento habitual, mas “cada caso é um caso, as situações são diferentes e criar um padrão é muito difícil”.
A própria vereadora do Desporto, Rosário Gestosa, exlicou que “faltava um mês para o Andebolmania quando foi cancelado”. “Outros eventos cancelados, estamos a tentar ainda reagendar. Claramente que é muito difícil, neste momento, o regresso dos eventos desportivos. Mas também as associações agora já estão prevenidas neste sentido. A ADS [Associação Desportiva Sanjoanense], por exemplo, enviou um e-mail a dizer que não contava com o apoio aos eventos que não se iam realizar. A situação tem que ser analisada caso a caso”, concluiu.

Catarina Silva

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.