Muita luta, alguns erros… e pouco futebol

Muita luta, alguns erros… e pouco futebol

Sanjoanense, 2 – Pedras Rubras, 1
Árbitro: Albano Correia (A. F. Braga )
Auxiliares: Pedro Costa e Leonel Ferreira
Sanjoanense: Nuno Dias, Syszi, Ken, Almeida (c), Cauê, Metheus Roldan, Kay Kay ,Castro , Gazela , Caleb e Rafa.
Treinador: Nuno Costa
PEDRAS RUBRAS: Isac, Pimenta, Taborda, Augusto, Tiago Silva, Nikiema, Vitor Andrade, Miguel Vaz, João Pedro, Igor e Nuno Pereira
Treinador: António Pedro
Acção disciplinar: Nuno Dias, Martin, Caleb, Castro, Tiago Almeida.
Ao intervalo 2-1
Final: 2-1

Foi uma primeira parte muito digna, até ao minuto catorze diga-se. A luta existiu, com algum jogo duro de rins pelo meio, mas pouco mais. E é verdade que a organização do Pedras Rubras teve algumas culpas no cartório, ao permitir dois auto golos, mas mesmo assim, fez sofrer os alvinegros.
O setor recuado do Pedras Rubras funcionou como um verdadeiro quebra cabeças, nada que intimidasse a formação de Nuno Costa que tinha entrado com tudo no sentido de marcar cedo.
Erros? Sim, em ambos os lados. Primeiro porque a defensiva forasteira permitiu um auto golo num cruzamento tenso de Kay Kay logo aos oito minutos de jogo. Valeu a pontaria do defesa para os festejos dos da casa! Depois um inesperado abaixamento de ritmo um pouco antes do golo da igualdade.
Os alvinegros, controladores da posse, tentavam furar a muralha contrária, e iam dominando a belo prazer até ao minuto treze.
A perder por uma zero, o Pedras Rubras começou a equilibrar dado que a ADS jogava em profundidade e num contra-ataque Ken compromete, e na sequência de um pontapé de canto, João Pedro ao minuto 17 cabeceia para o empate. Uma falha de marcação e erro defensivo a permitir o empate.
A partir dai, apercebeu-se e bem da falta de entrosamento entre os homens de S. João da Madeira que não conseguiam algo palpável. Já do lado dos do Aeroporto, Igor desperdiça uma boa oportunidade enviando a bola ao poste da baliza de Nuno Dias.
Num claro ascendente da equipa forasteira e algum desacerto dos da casa, a Sanjoanense volta a marcar e o herói improvável Kay Kay volta a repetir a dose, com mais um cruzamento rasteiro com um molhado de pernas na área Augusto desvia para o fundo das redes, para mais um na própria baliza.
Mais do mesmo. Na segunda parte, o rumo manteve-se. A Sanjoanense vencia por dois um, e o cenário do jogo era um Pedras Rubras bem organizado e compacto e algo solto nas combinações e a ADS ansiosa na procura da Tranquilidade que não surgia, o Pedras conseguiu agitar uma partida globalmente desinspirada a da turma de Nuno Costa.
Almeida ponha “água na fervura “ e era sem duvida o melhor em campo, o central e capitão, foi sempre muito seguro e determinante a suster as investidas do Pedra Rubras.
Percebia-se que com o aproximar do fim do jogo Nuno Costa queria ganhar os três pontos, e quando mexeu na equipa colocando Terrence e Martin, estes, meteram mais velocidade e o ritmo foi mais intenso na procura do terceiro golo que não surgiu
O técnico António Pedro procurava o empate e fez entrar Thomas, Dibola e Renan trazendo mais atrevimento mas o jogo acabou com a vitória da Sanjoanense pela margem mínima.
Melhor o resultado, do que a exibição, mas os tres pontos ficaram aqui, e isso foi o mais importante !
A Sanjoanense voltará a jogar em casa só no novo ano em 2019, isto porque, nas próximas duas jornadas, a Sanjoanense vai à Madeira defrontar o U. da Madeira e depois o Gondomar líder do campeonato.

António Santos

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

  Subscribe  
Notify of