Menina de cinco anos atropelada  à porta de casa em Arrifana

Menina de cinco anos atropelada à porta de casa em Arrifana

Uma criança de cinco anos foi atropelada junto à casa por uma viatura ligeira, em Arrifana. Segundo testemunhas, a criança terá saído de perto da mãe e atravessou a rua sem olhar. O seu estado é considerado grave.

Uma menina de cinco anos foi atropelada, em frente à casa onde vive com a mãe, há cerca de dois meses, no último domingo, dia 6, na Rua Afonso Albuquerque, em Arrifana, próximo de uma antiga Escola Primária.
Segundo José Costa, vizinho e proprietário da casa – que alugou a parte de baixo à mãe da criança – a “tragédia” aconteceu ao início da tarde, pouco depois da criança ter almoçado. “A menina estava do outro lado da rua, junto de familiares a brincar e de mão dada com a mãe”. Mas, “sem ninguém esperar e numa fração de segundos”, rapidamente atravessou a rua em direção à sua casa, tendo sido colhida por uma viatura ligeira que passava no local.
Ainda segundo este vizinho, o condutor vinha “devagar”, a cerca de 30 quilómetros por hora, e “não podia fazer nada para evitar esta tragédia, pois foi tudo muito rápido, apesar de ter tentado evitar o embate” com a projeção da criança por aproximadamente 20 metros. “A menina andou pelo ar até ao cruzamento abaixo”, revela.

“Esta filha é tudo para esta mãe”

José Costa e a esposa, “que desmaiou mal viu a criança estendida no chão”, não se conformam com o “socorro tardio” e a falta de acompanhamento “psicológico à mãe e a todos os que assistiram ao atropelamento, incluindo o condutor. Como é possível nem uma pastilha darem para acalmarem estas pessoas? Nós fomos o suporte destas pessoas”, assumem revoltados.
A vítima sofreu traumatismo craniano encefálico muito grave. “A pancada foi toda na cabeça, estava cheia de sangue e, quando os Bombeiros lá chegaram, até já estava a ficar roxa”.
A criança foi assistida no local pelos Bombeiros de Arrifana e pela equipa da VMER da Feira e transportada para o hospital São João, no Porto, depois de estabilizada. Segundo apurámos, a criança teve que ser entubada e as manobras de socorro foram longas.
“Esta filha é tudo para esta mãe. Desde o dia da tragédia ela passa o dia todo no hospital. Nem quero pensar no pior, pois a situação é mesmo muito grave”, assume José Costa. Segundo conseguimos apurar, o estado de saúde da criança, apesar de ser considerado “grave, está estável”.
A GNR da Feira tomou conta da ocorrência.

António Gomes Costa

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

  Subscribe  
Notify of