Jogo muito disputado

Jogo muito disputado

Valecambrense, 3 – Sanjoanense, 1

A.D. Sanjoanense: Coelho, Vitinha, Rui Silva, Santos, Júlio Santos, André Dias, Pedro Ventura, Jorge Louro, Pedro Ferreira, Alex Nogueira, Helder, Marco Oliveira, Baltasar, Gino Assunção, Andrade e Gonçalves
Treinador: Pedro Ferreira
Delegado: António Oliveira
Marcador: Baltasar (25’)
Uma Sanjoanense muito perdulária, o que premiou a eficácia do adversário num jogo muito disputado.
Um início de jogo dividido a meio-campo, mas sempre com a Sanjoanense a ter mais posse de bola em relação à formação da casa. A Sanjoanense foi sempre mais contundente durante toda a 1.ª parte, dificultando a equipa do Valecambrense na construção do seu jogo e, por conseguinte, criando as melhores oportunidades de golo.
Numa jogada de insistência após uma recuperação de bola, André Dias assiste Baltasar, para o mesmo inaugurar o marcador para a Sanjoanense. O resultado iria sofrer alteração após dez minutos volvidos e sem que nada o indicasse, o Valecambrense empatava o jogo num golo furtuito aos 35 minutos.
No entanto, a tendência do jogo continuava até ao intervalo, sempre com a equipa de S.J. Madeira mais perto de marcar, com lances aos 38 e 40 minutos, mas sem sucesso.
Na entrada e durante praticamente toda a segunda parte, a equipa não exibiu a sua usual intensidade e qualidade de jogo com bola, aproveitando-se o adversário para dar a volta ao resultado e sentenciando um dia menos bom dos veteranos da Sanjoanense.
Com a equipa do Valecambrense a jogar em linhas baixas, teria sido necessário uma Sanjoanense mais veloz, mais criativa e, sobretudo, com maior eficácia na finalização.
Embora tenha saído derrotada de Vale de Cambra, a Sanjoanense produziu situações mais do que suficientes durante todo o jogo para o vencer. O adversário revelou-se mais eficaz nas oportunidades de resolver o marcador.
Todos os jogadores ficaram insatisfeitos com esta derrota, mas aceitaram e respeitaram a vitória do adversário. O que não aceitam é o constante desrespeito das disposições não racionais perante a Associação Desportiva Sanjoanense, que por “excelência” da Associação são concebidas. Todos sabemos que uma tomada de decisão é baseada em aspectos subjetivos, não tem medida perfeita, mas existe consideração dos termos legais para executar as decisões. Teoricamente, todas as equipas devem ser tratadas da mesma forma perante as normas de disciplina e regulamentos do campeonato. Quem detém esse poder de decisão nunca poderá ter “um peso e duas medidas”.
Neste momento, os jogadores da Sanjoanense não sentem constrangimento por participar no campeonato, simplesmente estão inconsoláveis com as decisões menos concebidas por parte de quem aplica os regulamentos e ações disciplinares do campeonato de veteranos (assunto a desenvolver nas próximas edições).

Pedro Ventura


Próximo jogo
4/Final da Taça
Sanjoanense – Guizande, sábado, 13 abril, 15h00
(Academia dos Campeões Sanjoanenses/Travessas).

 

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

  Subscribe  
Notify of