Jogo intenso do início ao fim

Jogo intenso do início ao fim

Sanjoanense, 3 – Serzedo, 1

A.D. Sanjoanense: Rui Rodrigues, Vitinha, Hélder, Marco, Júlio Santos, André Dias, Pedro Ventura, Rui Ventura, Rui Santos, Bessa, Gonçalves, Jorge Louro, Andrade, Baltasar, Pedro Ferreira, Alex Nogueira, Gino Assunção e Roman Leonovets
Golos: Baltasar (20’), Andrade (35’ e 80’)
Treinador: Pedro Ferreira
Delegado: Antonio Oliveira

Mais um jogo, mais uma vitória da equipa de Futebol Veteranos da Sanjoanense.
À entrada para este jogo, Pedro Ferreira modificou boa parte da equipa, dada a ausência de alguns jogadores que por motivos pessoais e profissionais não estiveram presentes para oferecer o contributo à equipa. Mas quem tem um plantel como os Veteranos da Sanjoanense, com jogadores acima da média em relação às restantes equipas desta competição, onde todos, sem exceção, sabem tratar a “bola” por excelência, estará sempre mais perto das vitórias em qualquer encontro do campeonato, assim foi o que aconteceu autenticamente no sábado passado diante da formação do Serzedo.
Jogo intenso do início ao fim por parte da Sanjoanense e, apesar do calor que se fez sentir durante todo o jogo, a Sanjoanense exerceu grande pressão sobre o Serzedo do primeiro ao último minuto.
Nesse sentido, o jogo foi também muito faltoso por parte da equipa adversária, do qual resultaram vários livres nas oportunidades da Sanjoanense chegar à área contrária. Num desses livres haveria de surgir o primeiro golo, aos 20’.
Baltasar na sequência de uma bola parada executada por Júlio Santos, fez aquilo que nos habituou ao longo destes últimos anos, ou seja, dar tudo em campo pelos colegas, pela camisola que enverga e irrepreensivelmente marcar golos com a sua assinatura. Golos de grande atributo e que só estão ao alcance de avançados com a qualidade técnica do nosso Baltasar.
Um a zero e a Sanjoanense em vantagem no jogo pela primeira vez. Esta condição, porém, durou apenas 11 minutos, até ser desfeita, com o golo marcado pelos visitantes também na sequência da execução de uma bola parada.
Ciente da sua missão, a Sanjoanense encarou todo o tempo que faltava ainda jogar com caráter e inteligência na conquista do último reduto adversário.
Aos 35’ da primeira parte, Andrade colocava justiça no marcador, após concretização de uma grande penalidade a castigar falta sobre Pedro Ventura.
Já na 2.ª parte, o mesmo Andrade, a surgir solto, num remate cruzado (80’), fez o resultado final (3-1) para a Sanjoanense. Resultado justo, num jogo de respeito mútuo entre as equipas.


Próximo jogo
S.J. Ver – Sanjoanense, sábado, 23 março, horário a definir (S.J. Ver)

Pedro Ventura

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

  Subscribe  
Notify of