Jantar de Reis/Janeiras do PSD local marcado por fortes críticas ao Governo

Jantar de Reis/Janeiras do PSD local marcado por fortes críticas ao Governo

Jantar de Reis/Janeiras reuniu cerca de uma centena de pessoas. Com fortes críticas à governação PS local e nacional, os Sociais-democratas não escondem a vontade de voltar a governar. O eurodeputado Paulo Rangel garante mesmo que 2019 “não vai ser um bom ano”.

Militantes e simpatizantes do PSD de S. João da Madeira reuniram-se num jantar de confraternização, num restaurante da cidade, que contou com a presença de Paulo Rangel, que não poupou críticas à governação de António Costa.
O eurodeputado começou por assumir que estava perante “muitos amigos” e que se sentia num “ambiente acolhedor”. Dirigindo-se a cerca de uma centena de militantes, mostrou-se preocupado com o futuro do país, anunciando que o ano que há pouco começou “não será um bom ano, pelo menos até 6 de Outubro”, data em que o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, agendou as eleições legislativas de 2019. Até lá, “vamos continuar a ser governados pelo Partido Socialista (PS), uma governação de António Costa, que é má para Portugal, para as famílias e para todos nós”. Rangel reforçou: “este Governo dá com uma mão, tira com as duas e não cuida dos serviços das pessoas”.
O social-democrata levantou ainda o assunto da saúde em Portugal, defendendo que os hospitais em Portugal “estão na rotura” desde 2018 e anunciou que todas as semanas “as notícias” dão conta disso. “É a rotura dos serviços. António Costa está a desmantelar o Serviço Nacional de Saúde”.
Paulo Rangel finalizou lembrando os militantes que em Outubro, nas legislativas, será necessário “dar um cartão vermelho ao Governo de António Costa” e, relativamente às eleições europeias, a 26 de Maio “só temos um cartão para usar: o laranja”, rematou.

Castro Almeida, vice-presidente do PSD

Governação de António Costa está a “perder brilho”

Por seu turno, o vice-presidente do PSD, Manuel Castro Almeida, recordou o tempo em que foi “muito feliz” como autarca de S. João da Madeira. “Acho que fiz o meu melhor para corresponder à confiança do meu partido”, afiançando a “grande solidariedade e apoio ativo do meu partido” durante todos esses anos, naquele que considerou ser “o melhor período da minha vida. Ser Presidente de Câmara é o melhor cargo para quem gosta de serviço público”, enfatizou.
O ex-autarca não quis comentar os assuntos atuais do município, defendendo que o critério essencial deverá ser sempre “aquilo que é melhor para a terra”, para quem está no partido ou na oposição, sem nunca “perder a ambição” pela terra. Para Castro Almeida, o PSD de S. João da Madeira terá que regressar “rapidamente ao poder. Temos obrigação de o tentar e ganhar com o melhor resultado possível”, atirou o ex-autarca. Relativamente a questões nacionais, referiu-se ao último Conselho Nacional, que considerou ter sido “muito útil para o partido”.
Já quanto à governação de António Costa, considera que a mesma “está a começar a perder brilho” e que as “pessoas estão a começar a achar que, afinal, o homem tem andado a enganar-nos”, considerando mesmo que o Primeiro-Ministro não “nos tem andado a mentir”, ironizando que o mesmo é “habilidoso e esses não mentem”.

Susana Lamas, presidente da Comissão Política Concelhia do PSD local

“Queremos voltar ao poder”

Susana Lamas, presidente do partido, explicou que o PSD “teve grandes responsabilidades” nos destinos de S. João da Madeira num passado muito recente, mas também agora que o partido está na oposição. “Temos um objetivo de ganhar eleições e queremos voltar ao poder”, uma vez que “acreditamos que sabemos fazer melhor”, afiançou. A líder do partido recordou que o PS já se encontra no poder há mais de um ano nos destinos do município, “e o que vemos é uma cidade parada, queixas e desilusão”, dando como exemplos a situação dos jardins e do lixo. Por tudo isto, entende que S. João da Madeira “merece muito mais”, garantindo a necessidade de colocar a cidade “no top nacional, aliás, o lugar onde esteve quando o PSD liderava os destinos da cidade”, rematou.
Suzana Lamas não ficou por aqui quanto a críticas à governação PS. “Nós não somos como o PS, que no passado fazia oposição à própria cidade”, dando como exemplo o caso das piscinas. “Nós colocamos os interesses da cidade acima de quaisquer outros interesses” e apontou o dedo pois limita-se a inaugurar o “enorme legado que deixou o PSD”.

Jovens têm papel “fundamental nas próximas eleições

Do lado do presidente da JSD local, Luís Neves frisou que os jovens têm a consciência que vão ter pela frente um papel “fundamental” nas próximas eleições. “Temos que estar unidos, mobilizados, temos que mostrar que somos a verdadeira alternativa”, garantindo que o PSD “pode contar com a energia, a força e a garra” da JSD de S. João da Madeira.
Como habitualmente, a Banda de Música e a Tuna d’ Os Voluntários de S. João da Madeira marcaram presença no evento, que este ano teve cariz solidário, com a angariação de bens alimentares e cantaram as janeiras.

António Gomes Costa

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
José Reis
Visitante
José Reis

No poder é que vocês estão bem. Isso já todos sabemos.