Falhas no abastecimento de água motiva abaixo-assinado

Falhas no abastecimento de água motiva abaixo-assinado

As “constantes falhas” no abastecimento de água, reclamadas por moradores de vários prédios na Avenida Dr. Renato Araújo, motivou um abaixo-assinado que foi entregue esta semana nos serviços da Câmara de S. João da Madeira e na empresa municipal Águas de S. João.
«Os abaixo-assinados, consumidores residentes na Avenida Dr. Renato Araújo, insatisfeitos com o irregular abastecimento de água dessa empresa, por inúmeras vezes comunicado aos vossos serviços, vêm desta forma manifestar a sua revolta pelo desprezo a que têm sido votados, pois não aguentam mais os vários cortes diários de água e as várias horas do dia, confrontados que estão com os inconvenientes de vária ordem, nomeadamente possíveis aumentos na facturação e prováveis avarias nos aparelhos domésticos básicos a qualquer família urbana». Este foi o texto base do abaixo-assinado entregue, na passada segunda-feira, na empresa municipal Águas de S. João e nos serviços da Câmara de S. João da Madeira, pelo munícipe António Mendes, de quem partiu a iniciativa, onde alertavam ainda as entidades «para a eventual tomada de medidas na defesa dos seus direitos de consumidores, caso a situação se mantenha».
António Mendes vive na Avenida Dr. Renato Araújo, em frente às bombas de gasolina, e explicou, em declarações a ‘O Regional’, que tem vindo a sentir “falta de pressão” na água “de há um ano para cá”, com agravamento no “último mês, mês e meio”, altura em que a água passou a falhar “várias vezes ao dia”. O munícipe, que já abordou esta questão em Assembleia Municipal, mora no 5.º andar, mas sublinha que as queixas se fazem sentir também nos andares abaixo, mesmo ao nível do “1.º e rés-do-chão”.
Este sanjoanense refere que são várias as consequências da falta de pressão, como o “esquentador não arrancar para aquecer a água”, e das falhas totais no abastecimento, que além de impossibilitar os banhos, fazem “parar os electrodomésticos”, como máquinas de lavar. Apesar de ter notado alguma melhoria “desde a passada sexta-feira”, na manhã de segunda António Mendes já voltou a sentir “menos pressão” na água que saía das torneiras em sua casa.
“Nunca houve uma posição firme, cada um queixa-se das suas dores”, constata António Mendes, que decidiu avançar com o abaixo-assinado para tentar “resolver o assunto”. Desde a semana passada, entre diversos prédios vizinhos, todos na Avenida Dr. Renato Araújo, junto de “pessoas com quem fui falando”, António Mendes reuniu cerca de 53 assinaturas.
Contactada por ‘O Regional’, a Câmara Municipal de S. João da Madeira confirma a recepção do abaixo-assinado, adiantando apenas que o mesmo irá ser devidamente analisado.

Joana Gomes Costa

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

  Subscribe  
Notify of