Educação

Preocupações das associações de pais de S. João da Madeira em linha com as de todo o país

• Favoritos: 37


No arranque do novo ano letivo, Mariana Carvalho aponta a saúde mental da comunidade escolar como uma das preocupações a destacar. As duas estruturas estão ainda atentas e disponíveis para participar no processo da transferência de competências.

O Regional: Quais são as preocupações da FECAP no arranque deste ano letivo?
Mariana Carvalho: São várias, entre elas, o aumento dos custos relacionados com as despesas familiares e educação. A transferência de competências está na nossa preocupação e mantemo-nos disponíveis para apoiar a autarquia e os agrupamentos, bem como para integrar comissões de acompanhamento e monitorização da implementação e desenvolvimento do quadro de competências, no âmbito do processo de transferência no domínio da educação, mantendo uma lógica de proximidade entre os vários parceiros da Educação. Outra preocupação é a saúde mental e emocional de toda a comunidade educativa. O foco são as crianças e jovens, alargando a toda a comunidade educativa e chegando também às famílias. Foi nesse sentido que já lançamos reptos para a implementação de projetos nessa área, abrangente a toda a comunidade.

Ainda há receios quanto à pandemia? Têm conversado sobre isso com as escolas?
As nossas comunicações principais são com as associações de pais, seguindo-se todos os outros parceiros da comunidade. Não nos têm chegado preocupações das associações de pais com preocupações concretas acerca da pandemia. O uso de máscaras deixou de ser obrigatório no decorrer do ano letivo anterior, pelo que não me parece que configure um fator de preocupação. Ainda verificamos situações pontuais de pessoas que mantêm, individualmente, o uso de máscara. A maior preocupação é a recuperação da saúde mental e da socialização de toda a comunidade educativa. Todos os intervenientes das escolas viveram uma situação de stress, de pandemia, de isolamento, de medo, com uma guerra, têm sido acontecimentos muito difíceis e claramente não estamos emocionalmente preparados, de base, para tudo isto, e sente-se na generalidade dos locais.

Em termos de plano de ação, o que já têm delineado para 2022/23?
O nosso plano foi realizado para o biénio 2022/2024 e será revisto durante as próximas reuniões, contudo, continua adequado à realidade que vivemos atualmente. As principais ações previstas são a revisão estatutária; promoção da formação dos dirigentes associativos; apoio à contabilidade e fiscalidade das Ap´s; aproximação dos pais à escola, mobilizando-os para uma maior participação na vida dos seus educandos na escola e promover uma atividade sociocultural: FECAP Family Fest.

Quais são as prioridades da FECAP para o ano letivo que arranca?
Acompanhamento e apoio às AP´s (temos sempre pais novos e há necessidade de acompanhamento e apoio, especialmente nas questões legais); apoio à contabilidade e fiscalidade; acompanhamento do início do ano letivo; aproximação de toda a comunidade e acompanhamento da transferência de competências no domínio da educação.

Qual a importância da FECAP para os pais e encarregados de educação?
A FECAP é a organização representativa de todas as associações de pais do concelho, representando os pais e encarregados de educação nos fóruns e reuniões nos quais temos assento. Fomentamos a dinamização das Ap’s; em matéria de definição de políticas educativas, compete à FECAP a representação em várias vertentes de âmbito municipal, nomeando o representante dos pais na CPCJ, os conselhos municipais, na rede social; Promovemos a capacitação parental e de dirigentes associativos - o grau de responsabilidade jurídica e fiscal exigido aos dirigentes das associações de pais é atualmente elevado, pelo que importa desenvolver e melhorar o desempenho dos dirigentes associativos.

Poderá ter acesso à versão integral deste artigo na edição impressa de 8 de setembro
ou no formato digital, subscrevendo a assinatura

 

37 Recomendações
407 visualizações
bookmark icon