Política

Luís Montenegro inaugurou na cidade o primeiro dos Murais de Liberdade do País 

• Favoritos: 53


Primeiro-ministro começou a visita pelo Centro de Arte Oliva, onde decorreu a apresentação deste projeto nacional de intervenções artísticas de rua, apoiado pelo Turismo de Portugal e que visa assinalar o 50° aniversário da Revolução dos Cravos.

As sete regiões turísticas do país vão ter murais artísticos alusivos ao 25 de Abril. A iniciativa – já em curso - foi apresentado nesta terça-feira, em S. João da Madeira, onde, no mesmo dia, se procedeu à inauguração da primeira das obras a ser concluída, nesse âmbito, pelos artistas Draw e Alma, que intervencionaram  a fachada de um prédio de habitação localizado na Rua do Parrinho, nas proximidades da capela local.
Os dois momentos contaram com a presença do primeiro-ministro, que felicitou a dupla criativa responsável pelos murais, nesta visita a “uma terra de trabalho”, que Luís Montenegro assumiu conhecer “muito bem”, considerando tratar-se de uma cidade com “uma história muito rica” e com a capacidade de “crescer, alimentar sonhos e criar riqueza”.
O primeiro-ministro falava, no Centro de Arte Oliva, após a apresentação da iniciativa “Murais de Liberdade” feita pelos respetivos autores, os artistas Frederico Draw e Rodrigo Alma, que formam o projeto Ruído e que se propõem, durante este ano e numa colaboração com o Turismo de Portugal, a realizar 14 intervenções - duas por cada região turística - em torno de temas relacionados com o 25 de Abril. São obras alusivos a histórias, pessoas, factos ou marcos das cidades de cuja paisagem urbana passam a fazer parte.
Revelando que, quando o secretário de Estado do Turismo – também presente em S. João da Madeira - lhe falou desta sessão e do respetivo enquadramento nas comemorações dos 50 anos da Revolução dos Cravos, não hesitou em marcar a data na sua agenda, o governante enalteceu também o papel do Município e do Turismo de Portugal no desenvolvimento desta iniciativa.
Encontrando-se num centro dedicado à arte e estando rodeado por fotografias dos acontecimentos de 25 de abril de 1974, captadas pelo fotojornalista Alfredo Cunha, o primeiro-ministro afirmou ainda o compromisso de “tentar, nesta legislatura, acrescentar àquilo que gastamos na cultura 50%”, além de, paralelamente, assumir “o objetivo de estimular mais o mecenato cultural”.

Turismo, cultura e liberdade 

Sendo os “Murais de Liberdade” uma iniciativa promovida pelo Turismo de Portugal, o respetivo presidente, Carlos Abade, também esteve em S. João da Madeira, onde sublinhou que, além de comemorar Abril, este projeto celebra ainda o turismo, “uma indústria que promove a cultura, promove a arte, mas também que promove aquilo que é a tolerância, aquilo que é o valor da paz e aquilo que é o valor da liberdade”.
O Presidente do turismo de Portugal lembrou que a sessão de apresentação dos “Murais de Liberdade” estava a decorrer em antigas instalações da empresa metalúrgica Oliva – convertidas há cerca de 10 anos num centro de arte – Carlos Abade realçou “a importância de S. João da Madeira no turismo industrial”, revelando que, a esse nível, o Turismo de Portugal “tem trabalhado muito” com o município e que este “tem contribuído para a diversificação do produto turístico” no nosso país.

Poderá ter acesso à versão integral deste artigo na edição impressa n.º 3985, de 25 de abril ou no formato digital, subscrevendo a assinatura em https://oregional.pt/assinaturas/

53 Recomendações
136 visualizações
bookmark icon