Desporto

A lei do mais forte expressa nos números finais

• Favoritos: 11


Vitória tranquila do FC Porto frente à Sanjoanense, que entrou nervosa e permitiu, desde cedo, aos visitantes construírem uma margem confortável. Na segunda parte, os da casa melhoraram a eficácia ofensiva, mas os portistas limitaram-se a gerir.

O FC Porto, líder invicto do Campeonato Placard Andebol 1, não teve dificuldades em ultrapassar a Sanjoanense na visita ao Pavilhão das Travessas. O jogo mostrou duas equipas com realidades bem diferentes, com os alvinegros a aproveitarem para evoluir e crescer, perante um adversário que luta para ser campeão.

Os azuis e brancos entraram fortes, aproveitando algum nervosismo inicial dos alvinegros, e começaram a construir, desde cedo, um triunfo que se veio a confirmar ser tranquilo. Vários erros ofensivos e muitas perdas de bola, facilitaram a vida aos portistas, que rapidamente se apanharam a vencer por margem folgada. Verificaram-se algumas falhas técnicas em ambos os lados, no entanto, a experiência e o poderio físico e técnico dos comandados de Magnus Andersson ditou lei. Prova disso, foi o resultado com que se chegou ao intervalo: uma vantagem portista de 7-18.

A entrada no segundo tempo manteve o registo do final dos primeiros 30 minutos, mesmo com o técnico do FC Porto a fazer a rotação e gestão do seu plantel. Fortes defensivamente e com saídas rápidas em transição, rapidamente ampliaram a vantagem para uma diferença de 15 golos.

Mas os homens de Nuno Silva melhoraram a sua prestação e começaram a cometer menos erros, construindo de forma mais organizada e encontrando soluções para furar a forte “muralha defensiva”, dos Dragões. Vinicios Carvalho “Panda”, com nove golos apontados, foi o mais inconformado e, de primeira linha, surpreendeu por diversas vezes Márton Székely, melhorando o registo ofensivo dos alvinegros no segundo tempo. Um parcial de 10-14 nos segundos 30 minutos provaram que os alvinegros têm tudo para continuar a ambicionar a manutenção entre os melhores do andebol nacional. E, mesmo sem algumas peças fundamentais que poderiam rivalizar a nível de peso e altura, como o pivot Pedro Pires e o Bruno Saurin, o sinal foi positivo para toda a equipa sanjoanense, que melhorou claramente, apesar de não conseguir impedir uma derrota por 17-32.

Na próxima jornada, há deslocação aos Açores, para defrontar o SC Horta. A equipa açoriana está também na luta pela manutenção, apenas três pontos e uma posição acima dos alvinegros, apesar de ter mais um jogo disputado. A partida realiza-se no sábado, 17 de abril, pelas 21h00.

11 Recomendações
13 visualizações
bookmark icon