Desporto

“Este é um projeto de sanjoanenses para a A.D. Sanjoanense”

• Favoritos: 30


Joaquim Gonçalves é o candidato da Lista A à presidência da AD Sanjoanense (ADS) para o triénio 2024-2027. Aos 57 anos, o empresário aceitou o desafio lançado por algumas pessoas da cidade e garante que está pronto para assumir os destinos do clube

O que motivou esta candidatura?
A candidatura surge depois de algumas conversas que tive com pessoas de S. João da Madeira que não estão satisfeitas com o rumo atual da ADS. Elas reconhecem em mim as competências necessárias e fizeram-me ponderar sobre o estado atual e o futuro do nosso clube.

Quais são as bases para o trabalho que pretende desenvolver?
O nosso projeto está assente em cinco pilares, que encaramos como “futuros”: sustentabilidade, formação, infraestruturas, modalidades e transparência. São as bases que consideramos essenciais e sobre as quais vamos trabalhar para abrir o clube à cidade, com controlo orçamental e financeiro, de forma a trilharmos um rumo de conquistas.

Tem recebido elogios sobre a equipa que o acompanha. Está satisfeito?
Plenamente satisfeito e absolutamente orgulhoso do que estamos a construir. A nossa equipa é um misto de juventude e experiência, e está repleta de talento e profissionalismo. Conseguimos juntar muitos sanjoanenses, pessoas com ligação íntima ao clube e à cidade, que estão connosco para ajudar e servir o nosso emblema.

Encaramos os desafios com confiança e ambição

Foi fácil juntá-las?
Nem tudo foi fácil. Houve modalidades e órgãos sociais para os quais sentimos maiores condicionantes, até pelo facto de não nos ter sido facultada a listagem de sócios até ao dia em que entregámos a nossa lista. Mas encaramos os desafios com confiança e ambição, e estamos muito satisfeitos por podermos contar com todas estas pessoas, algumas delas de regresso para uma participação ativa e que muito nos valorizará enquanto instituição centenária.

A equipa sénior de futebol ainda não garantiu a manutenção e é uma das grandes preocupações dos sócios. Qual o futuro do futebol profissional?
O que queríamos era que a equipa tivesse garantido a manutenção na Liga 3 na última jornada, em casa e com uma excelente moldura humana. Mas estamos confiantes de que foi apenas o adiar do feito, que acreditamos que será conseguido no próximo jogo. A partir daí, e ganhando as eleições, queremos manter a equipa nesse patamar com pessoas extremamente competentes e experientes nas ligas profissionais para podermos organizar e profissionalizar toda a estrutura, sempre em estreita colaboração com o coordenador do futebol de formação para potenciarmos todos os elementos de formação. Já o disse e repito: não vamos destruir nada. Vamos, sim, procurar melhorar o que acreditamos estar menos bem e tentar colocar a ADS nos mais altos patamares competitivos em todas as modalidades e escalões.

O basquetebol feminino sénior conseguiu o acesso à Liga Betclic e o hóquei em patins sénior está também perto de garantir a elite.
Queremos estar no topo. O feito das nossas jogadoras de basquetebol foi enorme e vamos trabalhar para garantir as melhores condições para que disputem a Liga Betclic. E quanto ao hóquei em patins, é o regresso a um patamar que já conhecemos. A ADS é reconhecida a nível nacional pelas conquistas e o ambiente em torno do hóquei em patins, e a nossa comunidade é muito ligada à modalidade. Queremos fomentar essa ligação e a sustentabilidade a todos os níveis, não só nessa como nas restantes modalidades.

Poderá ter acesso à versão integral deste artigo na edição impressa n.º 3984, de 18 de abril de 2024 ou no formato digital, subscrevendo a assinatura em https://oregional.pt/assinaturas/
30 Recomendações
259 visualizações
bookmark icon