Desporto no trabalho continua a “lavar a alma” dos funcionários municipais

Desporto no trabalho continua a “lavar a alma” dos funcionários municipais

Um ano depois, a iniciativa mantém-se viva e recomenda-se. Nos corredores do edifício da autarquia, no jardim, e até no mercado, vários funcionários da Câmara Municipal de S. João da Madeira não abdicam da dispensa de 30 minutos semanais para fazerem exercício físico no local de trabalho, uma iniciativa que permite começar o dia “com outra disposição e ânimo”, e que serve ainda para aliviar o “stress”.

Tratou-se de uma ideia pioneira e inovadora. A “caminhada” começou há um ano, quando a Câmara Municipal de S. João da Madeira lançou o programa de atividade física para os cerca de 300 funcionários da autarquia, para reforçar o espírito de equipa e motivar os funcionários e o próprio executivo para o desempenho da sua atividade na autarquia, além das naturais vantagens para a saúde e bem-estar de quem trabalha no município. “O programa continua, é para continuar e arrisco-me a dizer que é um sucesso”, assume Jorge Vultos Sequeira, presidente do Município sanjoanense.
O relógio marcava 9 horas da manhã. Segunda-feira, dia15, início de mais uma semana e os “alunos” fazem questão da pontualidade para a aula de desporto, como se picassem o ponto à entrada de mais um dia de trabalho. Ia começar mais uma aula nos corredores do edifício da autarquia. Com ou sem a orientação do Técnico de Desporto da Câmara, Valdemar Vaz, os alunos sabem bem o que fazer. Ali participa quem quer e faz o que quer. Ninguém se preocupa com roupa desportiva, assumindo mesmo o traje de trabalho. Existem vestidos, saias, saltos altos e as senhoras não dispensam a maquiagem.
Na verdade, estes trabalhadores estão no seu posto de trabalho, em horas de trabalho, mas aqueles 15 minutos são “perfeitos para aliviar o stress, confraternizar, trocar ideias e conviver”, assume Rosa Correia, do Gabinete de Educação. Esta funcionária não perde uma aula. “Hoje, por acaso, está a chover e não vamos fazer o aquecimento no exterior do edifício”, mas o que importa mesmo “é mexer o corpo, fazer alongamentos e dar umas boas gargalhadas”, pois tudo “ajuda”, garante.
Todas as segundas e sextas-feiras, os 15 minutos de convívio “desportivo saudável” são obrigatórios para esta funcionária. “Começamos o dia com outra disposição, com outro ânimo e, por vezes, é a única oportunidade que temos de confraternizar de forma diferente com os nossos colegas de trabalho”. Para Rosa Correia, esta iniciativa deveria ser “obrigatória” nos locais de trabalhos, pois, além de chamar a atenção para a importância do desporto, “permite melhorar a nossa postura, é uma forma de confraternização entre colegas de trabalho e todos temos a ganhar com isto”, reconhece.

“Uma descompressão para a rotina do dia-a-dia”

Quem também não perde uma destas aulas é a vereadora Irene Guimarães. São 15 minutos “que nos permitem lavar a alma”, dentro do horário laboral, que se acaba por refletir no “nosso dia-a-dia”, tanto no início da semana, como no fim. “Permite-nos exercitar o corpo, é uma dedicação a nós e aos outros”, uma vez que não deixa de ser um “convívio entre colegas de trabalho, partilha de ideias e de uns minutos de confraternização, que são muito saudáveis” e, a juntar a tudo isto, é uma “descompressão para a rotina do dia-a-dia”.
João Rita também integra “a turma” e é um dos primeiros a chegar. Para si, este exemplo do município, além de alertar para os benefícios do desporto, é um bom espaço de encontro entre colegas. “São os primeiros minutos do dia sem pressões, servem para troca de ideias e permitem, muitas vezes, até resolver e encontrar soluções para assuntos de trabalho, dentro ou fora do edifício”. Esta iniciativa permitiu “criar, de alguma forma, uma maior ligação entre departamentos”, enfatiza.
São 30 minutos, por semana, que são divididos em duas sessões de 15 minutos em dias diferentes, compostos por pequenos exercícios de mobilidade e fortalecimento muscular, que se estenderam a outros edifícios camarários, como os armazéns Jardins e Mercado Municipal.
Um ano depois, Jorge Sequeira garante que o balanço “é muito positivo, as pessoas gostam, não vão todos os funcionários, pois é um programa de adesão voluntária”, e reforça que o grande papel da autarquia continua a ser o de “colocar este programa à disposição das pessoas”.
Esta ideia surgiu logo nas primeiras reuniões desta equipa socialista que assume os destinos do concelho mais pequeno do país. Vultos Sequeira assume que não tem sido um aluno “ativo nestas aulas”, considerando “não ser um bom exemplo” para a sua equipa, pois nem sempre a agenda permite a sua presença. “Não pratico exercício físico com regularidade, mas vou ter que pensar seriamente no assunto, pois estou a engordar muito e necessito urgentemente de tratar da minha saúde”, reconhece.

Governo reconhece iniciativa

“O programa Laboser é muito mais do que uma sensibilização para a importância de um estilo de vida saudável!  Serve também para aproximar e motivar os funcionários”, refere a vereadora do Desporto Rosário Gestosa. Explica ainda que, em paralelo ao incremento da atividade física através do programa Laboser, foram realizadas “avaliações antropométricas e inquéritos sobre hábitos alimentares/hidratação, através da nutricionista estagiária”.
Os dados foram apresentados, bem como foram promovidas sessões sobre alimentação saudável. “O objetivo é consciencializar os funcionários para adoção de estilos de vida saudável, onde incorporem o exercício físico, alimentação saudável e hidratação, aumento da ingestão de água”. Rosário Gestosa adianta ainda que brevemente serão enviadas comunicações via correio electrónico “aos funcionários, principalmente aos que passam demasiado tempo sentados atrás de uma secretaria, com dicas que os levem a combater o sedentarismo”.
Recorde-se que o Governo lançou, em Dezembro de 2018, um programa para ajudar a conciliar o trabalho com a vida familiar, apostando e permitindo a realização de escolhas livres em todas as esferas da vida. Nesse programa S. João da Madeira participa com duas iniciativas, “uma bandeira desse programa nacional”: o desporto para funcionários e a adoção de dois gatos no edifício da Câmara Municipal. “Estes dois projetos foram invocados como exemplos pela Ministra da Presidência Maria Manuela Leitão Marques”, durante a apresentação pública do Programa 3 em Linha, “que se estrutura em quatro eixos de intervenção e representa um esforço conjunto do Governo, de entidades da Administração Pública central e local, e de empresas públicas e privadas, em matéria de promoção  da conciliação entre a vida profissional, pessoal e familiar”, recordou o autarca sanjoanense.

António Gomes Costa

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

  Subscribe  
Notify of