Cultura e Lazer

Obras de Paula Rego e Lourdes de Castro integram exposição “Entre as Palavras e os Silêncios” no Centro de Arte

• Favoritos: 12


Obras de Paula Rego, Ana Vieira e Lourdes Castro são apenas alguns dos artistas nacionais e internacionais que integram a exposição “Entre as Palavras e os Silêncios”, da nova Coleção de Norlinda e José Lima,”

“Entre as Palavras e os Silêncios”, a nova exposição da Coleção Norlinda e José Lima, é “umas das melhores coleções de arte contemporânea portuguesa que existe em Portugal”, explica a curadora da exposição.
Luísa Soares de Oliveira refere que a mesma “partiu de um convite feito pela Fundação D. Luís I, de Cascais, ao CAO e ao colecionador José Lima para mostrar a sua extraordinária coleção”. Nessa altura, “ficou logo definido que esta exposição teria dois momentos, o primeiro em Cascais, e o segundo, aqui, em S. João da Madeira”.
A exposição “Entre as Palavras e os Silêncios” esteve patente no Centro Cultural de Cascais, entre 30 de setembro de 2021 e 6 de fevereiro de 2022, (como deu conta ‘O Regional’, nessa altura) e que, desde o último dia 18, sexta-feira, está adaptada ao espaço do Centro de Arte Oliva. Desta exposição fazem parte “muitas obras internacionais interessantes”. Com base nesse espólio, foi feita uma escolha que a curadora espera “que agrade a todo o público” que acorra ao CAO, um “extraordinário centro de arte, verdadeiro exemplo no país”.
Sobre a exposição, explica que “o conceito da exposição parte de uma visão muito pessoal”, que tem sobre a arte produzida no século XX: “Essa arte alterna entre momentos de grande pendor narrativo e outros em que se chama mais o silêncio e a capacidade de contemplação do espectador”.
Mas, acrescenta Luísa Soares de Oliveira, “é evidente que este silêncio de que fala o título é, afinal de contas, uma utopia, porque nós pensamos com a linguagem, nós entendemos com a linguagem, precisamos sempre da linguagem para racionalizar aquilo que vemos e, portanto, no fundo, esse silêncio não existe”. E, da mesma forma, “a narrativa total também não existe, porque, senão, a obra de arte não seria necessária”.
A Coleção Norlinda e José Lima é uma das maiores coleções de arte privadas do país, que tem aproximadamente1.200 obras de arte, onde estão representados cerca de 250 artistas portugueses e 230 artistas internacionais.
A coleção foi iniciada em 1980 e abrange um período de aproximadamente 100 anos, balizado entre 1926 e 2020, com a maior concentração na produção artística dos últimos 40 anos.
“Entre as Palavras e os Silêncios” reúne artistas reconhecidos como Paula Rego, Ana Vieira, Damien Hirst, Robert Combas, Lourdes Castro ou Adriana Varejão, além de integrar também artistas de gerações mais recentes, cujas obras foram incorporadas na coleção.
O acervo, em depósito no Município de S. João da Madeira, desde 2008, está acessível ao público, através de um programa regular de exposições no Centro de Arte da Oliva.
Marcaram presença na inauguração a vereadora Paula Gaio em representação da autarquia, Rodolfo Andrade, Presidente da Junta de Freguesia, os vereadores Susana Lamas, Tiago Correia, entre outras personalidades.
“Entre as Palavras e os Silêncios” fica patente ao público até 30 de dezembro.

12 Recomendações
54 visualizações
bookmark icon