Cultura e Lazer

Exposição mostra a vida e o trabalho das modistas de chapéus

• Favoritos: 120


Inauguração marcada pela renovação de protocolo com o Museu Nacional do Traje. “Modistas de Chapéus apresenta de 613 chapéus que podem ser vistos até 5 de novembro no Museu da Chapelaria.

O Museu da Chapelaria, em S. João da Madeira, inaugurou a exposição “Modistas de Chapéus”, que surge no âmbito da renovação do protocolo de depósito de 613 chapéus do acervo do Museu Nacional do Traje, que o equipamento cultural sanjoanense tem à sua guarda desde 2008.
“É, para nós, uma grande honra ter todo este conjunto do acervo do Museu Nacional do Traje na nossa posse”, afirmou Tânia Reis, diretora do Museu da Chapelaria, considerando que essa manifestação de confiança demonstra que a missão da instituição sanjoanense “está a ser cumprida a nível de preservação e conservação”.
E o mesmo acontece no que se refere à disponibilização desse acervo ao público, como acontece com esta nova exposição, que fica patente na sala dos usos sociais até 5 de novembro e que apresenta cerca de 100 peças, incluindo chapéus do Museu Nacional do Traje, além de máquinas, ferramentas evento acessórios de costura do Museu da Chapelaria.
“Pretendemos levantar apenas um véu sobre as modistas de chapéus”, ajudando a perceber “quem foram estas mulheres”, adiantou Tânia Reis, acrescendo que “há muito por contar, há muito por dizer” sobre as modistas de chapéus.
E muito do que há para saber vai constar de “um catálogo com toda a investigação que foi feita em redor destas grandes mulheres”, revelou também a responsável do Museu da Chapelaria, referindo que esse trabalho deverá estar concluído até ao final desta exposição.
A sessão de inauguração desta nova exposição ficou marcada pela renovação do protocolo de cedência dos 613 chapéus do Museu Nacional do Traje que se encontram à guarda do Museu da Chapelaria.
O documento foi assinado pelo presidente da Câmara Municipal de S. João da Madeira, Jorge Vultos Sequeira, e pela diretora do Museu Nacional do Traje, Dóris Santos, que destacou o Museu da Chapelaria como uma “referência ao nível do estudo, conservação e divulgação dos chapéus”.
Certa de que os chapéus que a instituição que dirige entregou à guarda do museu sanjoanense “têm sido bem tratados”, aquela responsável salientou o facto de uma parte desse acervo estar agora a servir de base a “uma investigação pioneira sobre as modistas dos chapéus”.
Também o presidente da Câmara, Jorge Vultos Sequeira, realçou as virtualidades desta parceria, recordando a “grande exposição” que o Museu da Chapelaria organizou no Museu Nacional do Traje, em Lisboa. O autarca considera que se tratou de “um momento muito importante para a promoção do nosso território”, constituindo “um êxito no que diz respeito ao público” e igualmente “do ponto de vista artístico e do ponto de vista científico”.

120 Recomendações
227 visualizações
bookmark icon