Cultura e Lazer

Capicua e outras figuras públicas juntaram-se ao Festival Poesia à Mesa

• Favoritos: 8


O Festival Literário Poesia à Mesa culminou na última segunda-feira, no Dia Mundial da Poesia, com poemas e canções, interpretadas em palco pelo jornalista Rodrigo Guedes de Carvalho, a cantora Daniela Onís e o músico e produtor Ruben Alves.

O psiquiatra e sexólogo Júlio Machado Vaz, o jornalista Rodrigo Guedes de Carvalho e o cantor Fernando Tordo também estiveram em S. João da Madeira, juntando-se a grupos locais para celebrar a obra de autores como Alda Lara (1930-1962), Vítor Nogueira, Daniel Filipe (1925-1964), A. M. Pires Cabral, Rosalía de Castro (1837-1885) e da própria Capicua.
O espetáculo, com o título RUGE, centrou-se em narrativas sobre o amor e tudo em volta, sobre paixão e revolta.
Esse momento seguiu-se a um fim de semana marcado por atividades como a “Peregrinação Poética” e o serão Poético”, que são das mais emblemáticas deste evento sanjoanense, que teve neste ano a sua 20.ª edição.
Na sexta-feira à noite, Capicua – uma das poetas homenageadas na edição deste ano do festival – foi convidada da “Peregrinação Poética”, que percorreu a zona envolvente à Biblioteca Municipal Dr. Renato Araújo e contou com a habitual participação de vários grupos locais, seguidos pelo público que acompanhou a iniciativa, de estação em estação.
Além de palavras escritas pela própria Capicua, foram ouvidos poemas dos demais autores homenageados na edição deste ano: Alda Lara (1930-1962), Vítor Nogueira, Daniel Filipe (1925-1964), A. M. Pires Cabral e Rosalía de Castro (1837-1885).
Os seus versos foram declamados e cantados pelos grupos “Voz Atrevida – Cerci”, APROJ, Universidade Sénior, Oficina de Artistas Ecos Urbanos, TOJ e “A Bem Dizer” e Associação Cultural Luís Lima & Fugas Poéticas.
No sábado, o “Serão Poético” trouxe a S. João da Madeira outro nome bem conhecido dos portugueses: o psiquiatra e sexólogo Júlio Machado Vaz, professor universitário e autor de vários livros. Com ele, no palco da Casa da Criatividade, esteve o músico Pedro Jóia, uma referência cimeira da guitarra em Portugal, assim como os comissários do Festival Poesia à Mesa – o poeta José Fanha e o performer Paulo Condessa – que conduziram a sessão.

Tertúlia de poetas sanjoanenses

Entre os momentos marcantes do programa do evento, conta-se também, a 15 de março, a “Tertúlia dos Poetas Sanjoanenses”, conduzida por Cristina Marques, professora e crítica literária, com a participação de poetas que nasceram ou residem em S. João da Madeira.
Essa sessão decorreu na Biblioteca Municipal, onde decorreu também, no dia seguinte (16 de março) o “Poetizando”, com o cantor e compositor Fernando Tordo, que falou sobre a sua vida e a poesia, a propósito do seu novo livro “Não Me Tapes o Caminho em Frente, Mesmo que Não Vá Dar ao Futuro”.
A 17 de março, na Casa da Criatividade, teve lugar o espetáculo “Metafisicamente d’Outro Mundo”, interpretado por Pedro Freitas, mais conhecido por Poeta da Cidade. A criação atmosférica foi composta pelas mãos do músico Wake Up Sleep (Cláudio Martins).

8 Recomendações
48 visualizações
bookmark icon