«Concertos Imprevistos em Locais Improváveis»

«Concertos Imprevistos em Locais Improváveis»

A iniciativa «Concertos Imprevistos em Locais Improváveis», voltou no passado fim de semana a Milheirós de Poiares. Uma iniciativa da Junta de Freguesia, que nasceu há três anos, com o intuito de trazer a cultura e a música junto dos milheiroenses de uma forma mais acessível. Devido ao confinamento imposto pelo Estado de Emergência, motivados pela pandemia do novo coronavírus, alguns músicos locais associaram-se ao projeto e, nos dias 24 e 25 de abril, atuaram em diversos pontos da freguesia, em concertos de cerca de 20 minutos, que foram transmitidos em direto na página de Facebook da Junta de Freguesia

Logo após ter iniciado o seu mandato, no final de 2017, o executivo da Junta de Freguesia de Milheirós de Poiares lançou o projeto «Concertos Imprevistos em Locais Improváveis». Uma iniciativa que surgiu com o intuito de levar a música e a cultura junto dos milheiroenses.
Este ano, e por força das contingências do Estado de Emergência nacional, motivados pela pandemia do novo coronavírus e que obrigam a um maior confinamento, a Junta de Freguesia avançou para a realização de miniconcertos, de aproximadamente 20 minutos, em diferentes pontos da localidade, durante dois dias. “Esta iniciativa tem muito a ver com esta imprevisibilidade de podermos estar em sítios não convencionais, onde geralmente não acontece nada, e trazermos música às pessoas e animar”, referiu Vítor Aniceto, membro da Assembleia de Freguesia de Milheirós de Poiares e coordenador dos pelouros da Junta.
Homem também ligado à cultura e ao espetáculo, Vítor Aniceto acredita que este conceito faz ainda mais sentido “agora que estamos confinados às nossas casas”. Assim, lembra que a organização da iniciativa está ser feita num conceito mais abrangente, pois “nos outros anos tínhamos um lugar fixo e, neste caso, estamos a fazer em cada dia três sítios diferentes. Com este conceito, a ideia é a de percorrer o máximo possível os diversos locais da freguesia”.
Segundo o membro da Assembleia de Freguesia, a iniciativa foi pensada, para já, nestes dois dias, “mas há aqui ideias de podermos continuar, até porque tem havido uma boa adesão das pessoas”. Mas, lembra que estará sempre dependente do estado do tempo, até porque se tratam de atuações na rua. “Mas, como tem estado bom tempo, nós temos conseguido realizar o evento”, afirmou.
Nas edições anteriores, o conceito utilizado era o de convidar artistas de fora da freguesia. Por exemplo, o ano passado atuou em Milheirós de Poiares o guitarrista Vítor Castro, “que os sanjoanenses conhecem e que por vezes toca com a Tuna”, mas este ano, “devido às contingências que impedem uma maior circulação das pessoas, recorremos à prata da casa, e acho que bem”, assegurou.
Os miniconcertos foram todos transmitidos em direto na página do Facebook da Junta de Freguesia, alargando assim a todos os milheiroenses a possibilidade de assistirem, até porque “não vamos conseguir abranger todas as ruas e todos os sítios da nossa freguesia”.
Em termos de custos, Vítor Aniceto diz serem “completamente irrisórios, até porque os artistas estão a atuar completamente em voluntariado” e ficou em aberto a possibilidade de em breve estes concertos se voltarem a repetir.

Paulo Guimarães

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.