Compasso sai só no Domingo de Páscoa com 23 cruzes

Compasso sai só no Domingo de Páscoa com 23 cruzes

O compasso pascal será este ano reforçado na cidade. Ao todo, são 23 as cruzes, mais oito do que o ano passado, que vão visitar, no domingo, a casa dos católicos em S. João da Madeira.

O dia de Páscoa é já no próximo domingo e, como aconteceu já em 2018, o compasso sairá apenas no dia de Páscoa, 21 de Abril, mas a visita pascal contará este ano com mais oito cruzes que o ano passado, num total de 23. “Antes da missa, as cruzes reúnem-se todas na praça Luís Ribeiro e virão em procissão para a missa das 19 horas na Matriz”, explicou a ‘O Regional’ o abade de S. João da Madeira, Álvaro Rocha.
Trata-se de uma festa cristã, que, na sua opinião, deve ser vivida com intensidade e no “júbilo da nossa fé”, defendendo que a mesma deve ser partilhada com “todos” os cristãos. Levar a cruz a casa das famílias ainda é uma tradição na região, que tem um “sentido” que os cristãos querem manter, uma vez que a Páscoa não é celebrada só na igreja e em eucaristia, mas também “nas famílias, até de modo muito especial com as pessoas que vivem sós, idosos e doentes”.
O dia começa a ser celebrado com a solene vigília pascal, onde “15 crianças da catequese recebem o batismo”. Depois terá lugar a da missa da manhã de domingo, às 8 horas, dando início à visita pascal, que será interrompida para a missas das 12 horas na matriz e nas capelas e almoço. A visita pascal será retomada às 14h30, e deverá ficar concluída cerca das 19h00, altura em que decorrerá uma missa que encerrará “este solene dia de anúncio pascal”, assume o pároco.
A Semana Santa é como que um “pórtico para a Páscoa e, especialmente, o tríduo pascal”. É esta a opinião de Álvaro Rocha, relativamente ao arranque da Semana Santa em S. João da Madeira, que começou no último domingo, dia 14, com a bênção dos ramos, que aconteceu depois da missa da catequese e antes da eucaristia principal de domingo. Cerca de 400 pessoas reuniram-se no largo Padre Moura Aguiar, “evocando a entrada de Jesus em Jerusalém”, tendo a procissão percorrido a Rua Dourado em direção à Igreja, onde se celebrou “a missa da paixão do Senhor”, explica o sacerdote.
Hoje, quinta-feira, dia 18, “fazemos memória da instituição da eucaristia, do sacerdócio e do mandamento da caridade, com o rito do lava-pés”.
Amanhã, sexta-feira santa, “dia da morte do Senhor”, a igreja recordará a paixão e morte de Cristo, “segundo o evangelista S. João, e adoramos a cruz do Salvador”. Trata-se da simbologia do caminho que Cristo fez com a cruz até ao calvário. A Via-Sacra percorre as 14 estações que assinalam os 14 momentos deste percurso, desde a condenação até à crucificação de Cristo. Álvaro Rocha assume que este é um dia “muito forte” para a igreja e para os cristãos. Além desta celebração, que terá início às 10 horas da manhã, “cantamos laudes”, sendo a animação coral da escola de música de Fiães. À noite, decorrerá a Via-Sacra Paroquial, que sairá da Mourisca e terminará na Igreja paroquial.

António Gomes Costa

________________________________________________________

Via Sacra

Sexta-feira | 19 de Abril | 21h30

1.ª Estação – Inicia na Praceta da Rua da Mamoinha (Mourisca) e segue pela rua Mamoinha em direcção à rua da Mourisca.

2.ª Estação – Rua da Mourisca, em frente à Escola João da Silva Correia e segue pela Rua da Mourisca até à rotunda da Rua do Relógio de Sol.

3.ª Estação – Rotunda da rua do Relógio de Sol e segue pela rua do Relógio de Sol entrando na Rua José Soares da Silva.

4.ª Estação – Parte norte do Parque Ferreira de Castro j/ à rotunda que direciona ao Intermarché. Segue depois na Rua José Soares da Silva até ao cruzamento desta com a rua do Condestável.

5.ª Estação – Rotunda do cruzamento da Rua José Soares da Silva com a Rua do Condestável. (Entrada sul do Parque Ferreira de Castro). Segue pela Rua José Soares da Silva até ao cruzamento com a Rua Afonso de Albuquerque.

6.ª Estação – Rotunda do cruzamento da Rua Afonso de Albuquerque com a Rua José Soares da Silva e segue pela mesma até ao Largo de S. João.

7.ª Estação – Largo de S. João e segue pela Rua Jaime Afreixo até ao cruzamento com a Rua Guerra Junqueiro.

8.ª Estação – Cruzamento da Rua Guerra Junqueiro com a Rua Jaime Afreixo (Viarco) e segue pela Rua Jaime Afreixo até ao cruzamento com a Rua Conde Dias Garcia.

9.ª Estação – Cruzamento da Rua Jaime Afreixo com a Rua Conde Dias Garcia e segue pela mesma até à rotunda frente aos bombeiros (perto da ACAIS).

10.ª Estação – Junto à ACAIS (rotunda dos Bombeiros) e segue pela Rua Alão de Morais até junto à Biblioteca Municipal.

11.ª Estação – Largo da Biblioteca Municipal e segue pela Rua Alão de Morais até ao largo de St.º António.

12.ª Estação – Frente à Capela de St.º António e segue para a Praça Luís Ribeiro.

13.ª Estação – Praça Luís Ribeiro (perto da Farmácia Central) e segue pela Rua Visconde até à Igreja Matriz.

14.ª Estação – Largo frente à Igreja Matriz, onde termina.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

  Subscribe  
Notify of