Bolas paradas apuram Sanjoanense na Taça

Bolas paradas apuram Sanjoanense na Taça

AC Espinho, 2 – Sanjoanense, 3

Pavilhão Arquiteto Jerónimo Reis, em Espinho
Árbitro: Joaquim Pinto (AP Porto)

Ac. Espinho: Cláudio Bessa, André Pinto (C), David Castaño, Tiago Ferraz e Fred Saraiva
Suplentes: Tiago Santos, Miguel Costa, Pedro Silva, Ricardo Lourenço e Carlos André Rodrigues
Treinador: Nélson Gomes

Sanjoanense: Marco Lopes (C), Xavier Cardoso, Pedro Cerqueira, José Almeida e Afonso Santos
Suplentes: Tiago Rodrigues, Pedro Rego, João Cruz, Alex Mount e Tiago Almeida
Treinador: Vítor Pereira

Golos: Fred Saraiva (13’), Alex Mount (21’ e 46’), Pedro Cerqueira (45’) e André Pinto (47’)
Acção disciplinar: Cartão azul para Tiago Ferraz (21’)
Faltas: 13-8
Foi à custa de uma eficácia de 100 por cento nas bolas paradas que a Sanjoanense derrotou a Académica de Espinho e se apurou para os 16 avos de final da Taça de Portugal.
Os alvinegros voltaram a um Pavilhão onde tinham vencido, por 7-4, no início de janeiro, naquele que fora o primeiro encontro de Vítor Pereira no comando da Sanjoanense, mas desta feita a história da partida foi diferente.
As despesas continuaram a ser assumidas pelo líder do Nacional da II Divisão – Zona Norte – de Hóquei em Patins. Contudo, a Académica de Espinho defendeu muito junto da baliza e de forma compacta, o que causou dificuldades à ADS, que só conseguiu furar a muralha nas tais bolas paradas.
O início do jogo foi morno e a apatia quebrou-se aos 13’ quando Fred Saraiva bateu Marco Lopes, guarda-redes que rendeu Tiago Rodrigues, o habitual titular no campeonato.
A Sanjoanense pareceu acordar com o golo sofrido e passou a ser mais dinâmica e perigosa. Depois de algumas ocasiões desperdiçadas, e uma bola no ferro, Alex Mount, na cobrança de um livre-direto a castigar uma falta admoestada com cartão azul dado a Tiago Ferraz, empatou, resultado que se manteve até ao intervalo.
No segundo tempo, a toada manteve-se. A Académica de Espinho jogava na expectativa e no erro, enquanto os alvinegros lutavam para resolver a questão, que só foi desbloqueada a quatro minutos do fim e de rajada. Pedro Cerqueira, primeiro, concretizou uma grande penalidade cometida sobre José Almeida e, logo de seguida, Alex Mount, na marcação da décima falta e de novo de livre-direto, elevou para 1-3.
André Pinto, ao aproveitar uma distração da Sanjoanense, ainda colocou incerteza, mas os homens da capital do calçado cerraram fileiras e seguraram um triunfo justíssimo.

A II Divisão volta este sábado com uma deslocação (21h00) ao Lavra.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

  Subscribe  
Notify of