Cultura e Lazer

Eventos culturais ainda não atingiram números pré-pandemia

• Favoritos: 51


Os eventos culturais ainda não atingiram os números registados no período pré-pandemia. Apesar disso, de 2020 para 2022 e, sobretudo, no último ano, há aumentos consideráveis no número de visitantes dos museus e do Centro de Arte Oliva.

De acordo com as informações disponibilizadas a ‘O Regional’ pela Câmara Municipal, o Museu da Chapelaria teve 13137 visitantes em 2022, o que significa mais do dobro (116%) dos 6060 de 2021.
Já o Museu do Calçado teve 7825 visitantes, sendo que em 2021 tivera 3821, verificando-se assim um aumento de 105%.
Quanto ao Centro de Arte Oliva registaram-se 6489 visitantes em 2022, sendo que em 2021 tinham sido 3906. Feitas as contas, o aumento é de 66%.
Já a Casa da Criatividade, cuja programação com os Paços da Cultura, registou 30716 espectadores nos 177 eventos realizados em ambos os espaços, em 2022. Os 91 eventos concretizados em 2021 tinham alcançado 12031 espectadores. Assim, verifica-se um aumento de 155% em termos de espectadores, sendo que o número médio de espectadores por evento também passou de 132 (em 2021) para mais de 173 (em 2022).
Recorde-se que desde 2019 até 2022 o setor cultural foi um dos que mais condicionados esteve pela pandemia de covid-19, com os museus encerrados e dezenas de eventos cancelados, em S. João da Madeira como no resto do país.
No seguimento, de 2020 para 2021 houve uma recuperação de 35% nos visitantes do Museu da Chapelaria, de 11,5% no caso do Museu do Calçado, de 23% nos eventos dos Paços da Cultura e Casa da Criatividade e de 22% nos visitantes do Centro de Arte Oliva.
Isto depois de no ano anterior se terem registado quebras de 60% no Centro de Arte Oliva, de 65% no número de espectadores da Casa da Criatividade e Paços da Cultura e de cerca de 70% nas visitas dos museus.
No caso do Centro de Arte Oliva, ainda não foi possível recuperar os 8104 visitantes de 2019. Também quanto à Casa da Criatividade e Paços da Cultura, apesar do número de espectadores ser superior aos cerca de 21 mil, no total, registados em 2019, os dados indicam que, atendendo ao número de eventos realizados em 2019 (88), o número médio de espectadores por evento era superior a 238.
“Depois de dois anos de fortes condicionamentos à atividade cultural, devido às medidas de combate à proliferação da Covid-19, 2022 marcou uma retoma gradual da afluência de público aos equipamentos municipais”, disse o presidente da Câmara Municipal, responsável pelo pelouro da cultura, em declarações remetidas a ‘O Regional’.
Jorge Vultos Sequeira considera que os dados disponíveis são “reveladores de um crescimento assinalável de visitantes e espectadores, que aderiram, ao longo do ano passado, às exposições e espetáculos realizados, reafirmando S. João da Madeira como um polo de grande dinamismo também ao nível cultural”.
Para o autarca, a oferta cultural conjugou “propostas locais com outras de âmbito nacional e internacional, tendo como denominador comum a qualidade”, considerando que tal ficou “bem patente” no regresso dos festivais de Poesia, de Teatro e de Jazz, que “voltaram a assumir-se como referências” na cidade e “para além dela”.
Além dos números dos espaços culturais, o Presidente Jorge Vultos Sequeira faz questão de destacar ainda “as muitas pessoas acorreram também a eventos realizados ao ar livre”, dando como exemplo a Feira do Livro, que decorreu na Praça Luís Ribeiro e veio “reforçar a oferta cultural” de S. João da Madeira.

51 Recomendações
84 visualizações
bookmark icon