Cultura e Lazer

Encontro de Ilustração premeia uma argentina, um espanhol e um português

• Favoritos: 63


Os premiados do Encontro Bienal de Ilustração foram anunciados no passado sábado, na Casa da Criatividade. A argentina Pupé foi a grande vencedora do concurso, que este decorreu, pela primeira vez, em formato bienal e sob o tema “vida”.

Foi a primeira vez que o Encontro de Ilustração de S. João da Madeira decorreu no formato bienal e ainda o evento ia a meio já o Presidente da Junta de Freguesia o dava como uma aposta ganha.
A ilustração esteve em destaque, na cidade, entre os dias 25 de novembro e 4 de dezembro (domingo).
“Foram duas semanas de uma vasta e variada programação, que trouxe à cidade artistas de todo o mundo e público de todas as idades”, refere a Junta de Freguesia, no rescaldo do Encontro de Ilustração de 2022.
A argentina Pupé foi a grande vencedora do concurso, ficando em segundo lugar o espanhol Sr. Lopez e em terceiro lugar o português Diovo.
De acordo com a organização, e conforme tem vindo a ser noticiado, esta edição do Encontro de Ilustração de S. João da Madeira teve o objetivo de ser “mais aberta, participada e mais próxima, não só dos muitos e habituais especialistas da área, mas também de todos aqueles que admiram esta extraordinária arte que é a ilustração”, com vista a alcançar a “formação de novos e interessados públicos”.

“Centenas de pessoas, de todas as idades, participaram nas iniciativas”

O Presidente da Junta de Freguesia, Rodolfo Andrade, faz um balanço “muito positivo” do Encontro de Ilustração, salientando que o objetivo de “trazer a ilustração para a rua, para mais perto do público, foi conseguido”.
No entender da autarquia, o sucesso do Encontro Bienal de Ilustração foi visível “pelas centenas de pessoas, de todas as idades, que participaram nas iniciativas”, promovidas ao longo destas duas semanas.
“Queremos que o evento ganhe dimensão, para isso é importante que fidelize o público e se distinga pela sua marca de qualidade, não competindo com outros encontros da mesma área que, entretanto, surgiram noutros municípios do país”, salienta o chefe do executivo da freguesia.
“Foi com esse objetivo que transformamos o Encontro de Ilustração de S. João da Madeira em bienal, pelo que agora temos dois anos para preparar a próxima edição, que pretendemos que seja a melhor, mais ampla e participada de sempre”, completa Rodolfo Andrade.
No sábado passado, dia 3, na Casa da Criatividade, B Fachada e o ilustrador Xavier Almeida, protagonizaram o concerto-ilustrado que, segundo sustenta a Junta de Freguesia, “foi, uma vez mais, um dos momentos altos do evento”. No mesmo dia, foram dados a conhecer os premiados da edição deste ano.

“Este foi o encontro mais participado de sempre”

“Este foi o encontro mais participado de sempre”, como já tinha anunciado esta autarquia, remetendo para “um recorde de 151 inscrições e 302 ilustrações no habitual concurso de ilustração que este ano decorreu sob o tema ‘vida’”. Foram recebidas ilustrações oriundas de 14 nacionalidades, entre as quais Argentina, Bélgica, Brasil, Cuba, Espanha, Moçambique, Portugal e Venezuela.
A programação contou com dezenas de iniciativas, entre as quais a Junta de Freguesia destaca a participação dos Urban Sketchers e as Montras Ilustradas, bem como a mostra de curtas metragens de animação com vários filmes premiados, o Mercado Ilustrado, o Mini Porto Belo, a animação de rua no centro cívico de S. João da Madeira e as oficinas de panquecas ilustradas.
A autarquia destaca igualmente as exposições “Traços da Guerra”, com 120 trabalhos, de 80 artistas, de 40 países diferentes, e “Jerónimo e Josefa”, que resultou de uma parceria com a Fundação José Saramago, no ano em que se assinala o centenário do nascimento do único escritor português a receber um Prémio Nobel da Literatura.
As exposições, incluindo a que apresentou os trabalhos do habitual concurso de ilustração, estiveram patentes nos Paços da Cultura durante as duas semanas do evento.
Recorde-se que a organização do Encontro de Ilustração é da Junta de Freguesia de S. João da Madeira, contando com o apoio institucional da Câmara Municipal, entre outras parcerias e colaborações. Da comissão organizadora fazem ainda parte a Associação Cultural Luís Lima, Cátia Vidinhas, Cláudia Valente de Oliveira e José Alberto Rodrigues, sendo que o júri do concurso foi constituído por Adélia Carvalho, Alexandre Rosas, Guridi, Mafalda Milhões e Marta Madureira.

 

1.º Lugar - Pupé
Mariana Pereyra (Pupé) nasceu na província de Buenos Aires, Argentina. Formou-se como designer na Universidade de Buenos Aires em 2005. Desde 2007, trabalha como ilustradora freelancer, e, desde 2011, é professora na mesma universidade em Ilustração. É na sua profissão de artista, ilustradora e professora que consegue encontrar a sua vocação, experimenta e aprofunda o desenho como forma de fazer as coisas no mundo.

2.º Lugar - Julio Antonio Blasco, Sr. López
Julio Antonio Blasco, conhecido como Sr. López, é licenciando em Belas Artes pela Universidade Politécnica de Valência e trabalha como ilustrador e designer gráfico há mais de 15 anos. O seu trabalho transita entre ilustração, pintura, design e colagem; um vaivém entre os diferentes campos da criatividade para criar imagens resultantes da mistura de várias disciplinas: uma colagem de técnicas, materiais, propostas e métodos.

3.º Lugar - Diovo
Diovo (Diogo Sousa ou Pablo El Diablo, dependendo da situação) nasceu em 2001 numa pequena vila dos subúrbios do Porto, e, desde então, tem colocado a sua cabeça, alma e nariz em cada pedaço de papel em que consegue desenhar. Frequenta atualmente a licenciatura em Design de Comunicação na Faculdade de Belas Artes do Porto. Como freelancer, ele e os seus “Narigudos” (companheiros de viagem) exploram os campos da ilustração e do design gráfico.

63 Recomendações
63 visualizações
bookmark icon