Sociedade

Anda um burlão a fazer um peditório em nome dos Ecos Urbanos

• Favoritos: 36


Homem com cerca de 40 anos pedia donativos para uma iniciativa “falsa” da Associação de Jovens Ecos Urbanos de S. João da Madeira. As autoridades já têm conhecimento do caso. 

Quando um homem com cerca de 40 anos pediu um donativo em nome da Associação de Jovens Ecos Urbanos de S. João da Madeira na zona do Espadanal, uma sanjoanense estranhou e ligou para a associação a confirmar se iam ou não realizar um evento no próximo fim de semana na Praça Luís Ribeiro.
A resposta negativa confirmou que se tratava de um burlão “que se apresenta como sendo filho do Zé Manel Carteiro” e pôs já as autoridades no seu encalço. “Fomos alertados para esta situação de alguém que andava segunda-feira, dia 5, a pedir em nome da associação”, explicou a Presidente dos Ecos. Rita Pereira reforça que a instituição “não tem este tipo de procedimento de angariação de fundos” uma vez que os mesmos são sempre “feitos através dos meios de comunicação oficiais”.
Recorde-se que este não é um episódio novo que envolve “burlas” e esta associação. “No verão do ano passado mas online alguém tentou angariar alimentos e dinheiro através de um grupo do Facebook”.
Rita Pereira diz não ter muitas características do burlão e que será publicado em breve nas redes sociais um comunicado a dar conta deste acontecimento.
Fonte da PSP disse a ´O Regional’ que a população deve estar “atenta” a este tipo de peditórios e apela aos sanjoanenses que, no caso de serem abordados ou contactados por pessoas “devidamente identificadas”, devem desconfiar sempre, não devem contribuir não conhecendo a pessoa em causa e, se possível, devem alertar as autoridades. “O tema peditórios, dinheiro, Segurança Social e ouro devem ser sempre sinais de alerta”, garante a mesma fonte.
Até a fecho da nossa edição (terça-feira) este era o único caso conhecido de alguém que tinha sido abordado pelo burlão. “Não sabemos que alguém deu ou não dinheiro. Esta foi a única denúncia de alerta que recebemos”, diz ainda Rita Pereira.

36 Recomendações
298 visualizações
bookmark icon