Negócios

O sanjoanense que se tornou a referência do mercado imobiliário na nossa cidade

• Favoritos: 2


Ricardo Oliveira, nascido e criado em S. João da Madeira, com vários anos de experiência comercial é um agente imobiliário reconhecido no mercado pelo seu profissionalismo e competência.

Como se tornou agente imobiliário?
Na verdade começou como part-time, uma vez que a minha profissão anterior me dava algum tempo livre o que me permitiu preenchê-lo com uma atividade extra que sempre me despertou curiosidade. Rapidamente e até para alguma surpresa minha, a mediação imobiliária tomou conta do meu tempo e passei a dedicar-me exclusivamente a esta área.

A que acha que se devem esses resultados repentinos?
O facto de ter nascido em São João da Madeira, ter feito todos os meus estudos na cidade e ainda ter praticado desporto na ADS, criou uma forte rede de amigos e conhecidos que facilitou o meu arranque, tendo tido de imediato vários contactos relacionados com esta área. Desde pessoas que andavam a pensar em trocar de casa, a outras que por alguma razão não conseguiam agilizar documentação para avançarem com o processo de venda em virtude de partilhas, heranças e outras questões burocráticas e viram em mim a pessoa certa para os ajudar com esses processos.

O que é para si ser consultor imobiliário?
É um desafio, dos grandes, todos os dias. Acima de tudo uma grande responsabilidade e um voto de confiança enorme das pessoas que me confiam as suas casas, os seus lares, para que eu possa ajudá-las com a venda. Todos os dias as pessoas abrem-me as portas das suas casas, das suas vidas, e escolhem-me para os representar. Em geral é o bem mais precioso de cada família. E essa confiança é muito gratificante!
Por vezes acabamos por ser confidentes, conselheiros e de tudo um pouco.
Uma coisa sei com toda a certeza, no geral as pessoas não têm noção do quanto nós trabalhamos e os sacrifícios que fazemos para que no fim todo o processo corra bem.

Qual o segredo para os resultados que apresenta?
Podia dizer que tenho aqui um segredo espetacular guardado…mas não. Penso que será um misto de vários fatores. A minha conduta é a mesma, desde que me conheço e que se traduz em ser o mais transparente e correto para com os clientes e também colegas de profissão.
Se tivesse que escolher uma palavra para o meu sucesso, seria frontalidade.
Habitualmente crio empatia com facilidade porque me tento colocar na pele dos clientes. A partir daí, o que eu acho que é bom para mim, será também bom para eles.
O resultado disso é real: clientes satisfeitos que me recomendam a outras pessoas que estão a pensar comprar ou vender casa. Isso facilita-me muito o trabalho porque os clientes já me chegam motivados para trabalhar comigo.

São João da Madeira é uma cidade muito procurada para se viver. A que se deve essa procura?
Sou suspeito porque sou sanjoanense e como tal acho sempre a minha cidade a melhor de todas. Mas algumas razões são claras e vão desde a geografia da cidade em que basicamente tudo é perto, às infraestruturas (sejam de educação, desporto ou saúde), aos espaços verdes e de lazer e sobretudo ao tecido industrial que emprega muita gente e que acaba por atrair novos moradores. É uma cidade muito dinâmica e completa e com excelente qualidade de vida.

“É considerado uma referência no imobiliário. A que acha que se deve?”
Isso deve-se a muita dedicação e trabalho ao longo dos anos e à imagem que fui construindo que faz com que seja esse o retorno que tenho das pessoas em geral.
Também se deve a uma aposta crescente em publicidade e apoio a algumas instituições desportivas locais e obviamente a uma presença constante nas redes sociais, imprescindíveis para o meu trabalho. O objetivo é que sempre que alguém pensar em comprar e vender, o meu nome lhes venha à cabeça.

Porque é que os clientes o procuram?
Porque tenho um forte conhecimento do mercado imobiliário na zona. Poucos são os prédios em São João da Madeira, onde não tenha vendido um apartamento. Além disso, os clientes contactam-me porque muitas vezes não têm ideia do valor da sua casa para poderem também saber o que poderão comprar a seguir.
Não poucas vezes, chegam à conclusão com a minha ajuda que a mudança de casa não é a melhor opção, ou que não é a melhor altura. Acabo por não fazer negócio mas ganho clientes para o futuro.

Como tem sido o seu percurso? Sei que houve mudanças recentes.
Felizmente os meus resultados têm sido sempre em crescendo. Na verdade nunca pensei em atingir o que consegui até hoje e ter o reconhecimento que tenho tido. Desde o início que fui sendo um agente premiado na empresa que representei até há pouco tempo.
Recentemente mudei para a KW que represento neste momento. O projeto seduziu-me e tenho o desafio de fazer crescer o nome da marca que embora seja um gigante mundial, e seja já uma referência em Aveiro e Porto estava pouco divulgada na nossa zona. Para tal, também vamos contar com a nova agência em Santa Maria da Feira com abertura para breve.
O reconhecimento e os prémios individuais também já começaram a surgir na nova empresa o que confirma o que sempre achei; mais do que a empresa que representamos, os clientes confiam é na pessoa. Naturalmente que com os anos de imobiliário, o meu trabalho se torna mais eficiente e com isso vem todo o resto.

E o futuro? Vamos ter uma crise imobiliária como no passado?
Obviamente que vamos passar tempos muito desafiantes em função da situação que vivemos a nível quer da inflação, quer da inevitável subida da taxa de juro. Penso que o trabalho dos agentes imobiliários será ainda mais necessário e mais reconhecido pois em situações mais difíceis, o trabalho dos profissionais será muito importante para que não se cometam erros nas decisões no que toca à mudança de casa, seja por uma questão de necessidade ou de somente mais conforto financeiro.
Mas sou otimista por natureza e com certeza que depois da tempestade vem a bonança.

Sente então que o seu trabalho será ainda mais valorizado?
Em tempos o trabalho do agente imobiliário era um pouco subestimado mas ultimamente vai-se percebendo a sua importância. Não é só mostrar e vender casas. Há todo um trabalho que envolve ter uma rede de contactos de solicitadores, advogados, engenheiros, arquitetos, notários, construtores, consultores financeiros, etc, para que no fim tudo resulte em processos aparentemente simples. É um trabalho que muitas vezes os nem os clientes se apercebem que existiu.
Independentemente do que aí venha, o meu compromisso será sempre o de tentar fazer o melhor trabalho possível pelos meus clientes.

2 Recomendações
47 visualizações
bookmark icon