Desporto

O cinema e os jogos: uma relação saudável

• Favoritos: 4


Reconhecido por toda a paixão que flui em cada competição, o desporto oferece grandes clássicos ao cinema.

A indústria cinematográfica está sempre atenta às boas histórias que ocorrem na vida quotidiana. Todos os campos da sociedade são assim boas fontes de enredos. Contudo, existe uma que se destaca pelas emoções envolvidas, o desporto. Reconhecido por toda a paixão que flui em cada competição, o desporto oferece grandes clássicos ao cinema.
A modalidade não importa, já que todas as vertentes do desporto são recheadas de emoções e grandes protagonistas, seja na categoria individual ou coletiva. Algumas das categorias mais comuns no cinema são o futebol americano, o basquetebol ou o boxe. No entanto, as produções chegaram até à patinagem artística no gelo, como no filme I, Tonya (2017), que traz a sinistra história por trás do ataque à patinadora Nancy Kerrigan.
Estes são então um bom exemplo da variedade de modalidades que oferecem boas histórias para os argumentistas, que só têm o trabalho de as melhorar e transformar numa obra audiovisual. A principal indústria cinematográfica está localizada nos Estados Unidos, consequentemente, os desportos norte-americanos são os mais frequentes.

Desportos no cinema

O futebol americano e o basquetebol são os dois desportos que mais foram retratados no cinema. No campo da bola oval existem grandes obras como The Blind Side (2009), que retrata a vida do jogador Michael Oher, um jovem negro e pobre que enfrenta diversas adversidades, até ser adotado por uma família rica do Tennessee. Com o apoio familiar, Oher conseguiu-se profissionalizar, entrar na NFL e conquistar o Super Bowl com os Baltimore Ravens, em 2013.
Outro filme consagrado sobre o tema é Remember the Titans (2000), também baseado numa história real, a história mostra o desafio do treinador Boone, interpretado por Denzel Washington, em gerir uma equipa com jogadores negros e brancos, numa época de segregação racial nos Estados Unidos.

Por outro lado, o basquetebol também gera boas histórias. Contudo, antes de começar com os filmes mais sóbrios sobre o desporto, é preciso citar o clássico Space Jam (1996), que traz o maior de todos os tempos, Michael Jordan, no papel principal e Bugs Bunny como o seu principal escudeiro, numa partida contra alienígenas pelo futuro do planeta terra.
Outras obras mais reais também fizeram grande sucesso com o público, este é o caso do White Man Can’t Jump (1992), que retrata o basquetebol amador, jogado nos campos das praias de Los Angeles. Outra pérola é Coach Carter (2005), protagonizado por Samuel L. Jackson, a história mostra a luta do treinador de uma equipa de colégio para ensinar disciplina e respeito aos alunos, que vivem num ambiente muito diferente das diretrizes estabelecidas no balneário.

Emoção “sem transpiração”

O cinema não olha apenas para os jogos físicos, aqueles que exigem perspicácia mental também estão na mira da indústria cinematográfica. Algumas modalidades são fonte de inspiração para a criação de boas obras.
Os jogos de cartas são um campo fértil para as criações de Hollywood. Um dos favoritos é o blackjack, que ganhou projeção para além das mesas dos casinos, estando também disponível na Internet em diversas modalidades de jogo e oferecido por plataformas especializadas. No cinema são muitas as produções com referências ao jogo, talvez o mais popular seja 21 (2008), o filme é baseado na história real de um grupo de alunos do MIT que viajam para Las Vegas para jogar blackjack.
Outro clássico é Rain Man (1988), o filme é vencedor de 4 Óscares e tem no seu elenco Tom Cruise e Dustin Hoffman, a história gira à volta de uma herança e dois irmãos que se conhecem no momento da partilha.
Outro tradicional jogo que inspirou diversos filmes e séries é o xadrez. Um clássico do cinema é The Search of Bobby Fischer (1993), que retrata a infância de Josh Waitzkin, que se tornaria num Grande Mestre e personagem influente no desporto até à sua retirada.
Outra obra (baseada em xadrez) que não foi aos cinemas, porém, merece destaque pelo impacto positivo que causou é The Queen's Gambit (2020). A série produzida pela Netflix, que investe também noutras modalidades, colocou o xadrez na moda novamente e as lojas especializadas em jogos de tabuleiros viram os seus stocks acabarem rapidamente, e plataformas especializadas no jogo registaram um grande aumento nos utilizadores.
Assim sendo, o desporto e o cinema são setores do entretenimento que convivem em perfeito equilíbrio. O primeiro serve de combustível do segundo, que por sua vez eterniza e glorifica os feitos conquistados por desportistas e as suas grandes histórias. Desta forma, a comunhão entre estas duas vertentes é perfeita.

 

4 Recomendações
19 visualizações
bookmark icon