Sociedade

Empresas, escolas e Associação Comercial e Industrial unidas para formar recursos humanos

• Favoritos: 3


Foi inaugurado em S. João da Madeira, na terça-feira (dia 5), “o primeiro Laboratório Colaborativo de Robótica do País”, na CEI by Zipor, na zona industrial das Travessas.

O momento foi inserido na “Semana Empresarial” da Associação Comercial e Industrial de S. João da Madeira (ACISJM), uma nova iniciativa que pretende refletir sobre os desafios do futuro e sobre a ideia de que “Não há pessoas para trabalhar”.
Recorde-se que o laboratório se insere num projeto iniciado pela ACISJM no âmbito da Rede Escola – Empresa, tendo começado em junho passado, com alunos da da ATEC, Academia de Formação do Porto.
O empresário Álvaro Gouveia explicou que os formandos se deslocam uma vez por semana à empresa, “para a parte prática”, sendo que os restantes dias (4) de formação são no Porto.
O laboratório colaborativo prevê que os jovens trabalhem com equipamentos industriais doados por empresas, sendo assim colocados em contacto com novas tecnologias. Desta forma, são criadas sinergias entre escolas, professores e formadores.
Para os alunos, é um meio de ganhar experiência em contexto de trabalho, bem como novas oportunidades de inserção no mercado, sem impossibilitar o ingresso no ensino superior.
Álvaro Gouveia recordou que a Rede Escola – Empresa foi criada há oito anos, em S. João da Madeira, pela escola Serafim Leite, pela escola Soares Basto, de Oliveira de Azeméis, e pela ACISJM. Atualmente, tem parceria com 10 empresas.
Para o empresário, o mais importante da rede é que garante recursos tecnológicos às entidades formativas sem que elas tenham um custo financeiro. “Têm sempre equipamento atualizado”, disse, completando que cada uma das empresas parceiras recebeu uma espécie de ecoponto, onde coloca materiais e equipamentos que, depois, seguem, para os ambientes formativos.
Assegurou ainda que a robótica não será a única área a ser trabalhada. De acordo com as necessidades empresariais referenciadas, também serão agendados outros laboratórios, como de mecatrónica automóvel, fabrico, maquinação e refrigeração.
Também o espaço formativo poderá migrar para outras unidades industriais e até para outras escolas de formação, desde que exista protocolo nesse sentido.
Para o presidente da ACISJM, Paulo Barreira, trata-se de uma iniciativa que “abre horizontes” dentro e fora de S. João da Madeira.
O dirigente refere ainda esperar que a iniciativa possa “estimular” as outras associações comerciais, de fora do concelho.

 

 

 

3 Recomendações
15 visualizações
bookmark icon