Sociedade

Criação de rádio ‘Interferências’ transmitida em vídeo na praça


O programa de rádio que está a ser desenvolvido no âmbito do projeto Interferências 1.0, e que será apresentado no dia 9 de julho, contará também com partilha de imagens, através de ecrãs, colocados na praça Luís Ribeiro

A ideia inicial era ocupar, fisicamente, a praça Luís Ribeiro. Contudo, foi uma sala no edifício Parque América que os sanjoanenses participantes e os artistas orientadores transformaram num estaleiro de ideias para decidirem, em conjunto, o que criar.
Será a partir dessa sala que irão transmitir um programa de rádio, sendo que se encontram a preparar o espaço para que tenha melhores condições acústicas.
“Tem sido uma construção coletiva”, afiança Pedro Neves, cineasta. “Todos [os quatro artistas envolvidos] fomos trazendo ideias, por virmos de áreas diferentes, embora não haja aqui uma componente cinematográfica, até vai ter imagem lá em baixo, porque vamos colocar aqui câmaras para as pessoas verem o que se passa no estúdio”, indica em declarações a ‘O Regional’.
Reconhece que podia ter sido feita “muita coisa”, até misturando as áreas dos quatro artistas envolvidos e ter “teatro com cinema, com figurinos”. “Mas tentamos criar uma coisa em conjunto partindo da experiência que fomos tendo com as pessoas”, completa. Assim, “fomos percebendo a dinâmica das pessoas e elas foram percebendo a nossa”.
“Já temos um guião, com as coisas praticamente já todas adjudicadas ou repartidas” pelos participantes, que são pessoas da comunidade que se inscreveram no projeto Interferências 1.0, que contou já com quatro criações artísticas apresentadas à cidade.
Segundo Pedro Neves, haverá crónicas, diretos, falsos diretos, noticiários, desporto, cultura, “como acontece normalmente nos programas de rádio, só que feito por pessoas daqui para pessoas daqui”.
Além disso, haverá ainda música a tocar em direto, através do envolvimento do artista local André Soares.
A sala está quase pronta, falta “a parte técnica”, como a “mesa de mistura, computador, camaras e régie de edição de vídeo para os ecrãs que vão estar lé em baixo”.
A ideia inicial, de ocupação física da praça, foi deixada de lado quando a equipa percebeu que a praça “é brutalmente ventosa”. Assim, o centro cívico da cidade será ocupado pelo som e pela imagem.
“Conseguimos uma frequência FM para transmitir para a cidade toda, através do digital, isto pode chegar a todos”, informa ainda Pedro Neves, para quem o mais agradável é “o envolvimento das pessoas que têm participado”.
“Sentimos que há muito entusiamo e muita vontade de fazer e participar, gravar, olhar para os textos, repetir e pensar-se em conjunto o que podíamos fazer que o outro quisesse ouvir”, assegura.
No entender do artista, essa vontade de participar “numa coisa que é local, feita pelas pessoas, para as pessoas” é também uma “maneira das pessoas se libertarem um bocado por uma intervenção mais artística”, sendo algo “muito aberto, sem grandes paredes ou limitações, em que as ideias são todas bem-vindas”.
O programa de rádio, criado pelo Interferências 1.0, será transmitido na praça Luís Ribeiro, entre as 17h e as 18h do dia 9 de julho.
Recorde-se que esta é a última de cinco criações produzidas no âmbito deste projeto de inclusão sociocultural, desenhado pelo município de S. João da Madeira, financiado pelo Norte 2020 e desenvolvido pelo Teatro da Didascália, contando com quatro artistas convidados (Sara Barros Leitão, Cláudia Ribeiro, Pedro Neves e César Estrela).

7 visualizações
bookmark icon