Opinião

Palavras do tempo, no nosso tempo… Vitrais

• Favoritos: 1


Esta foto, é um dos quatro vitrais existentes na Capela da nossa cidade.
Cada vitral corresponde a uma história de vivência espiritual, identificados como os Milagres de Santo António. Esta imagem, representa o pão que o Santo distribuía em silêncio às crianças e aos mais necessitados da sociedade.
Por baixo deste vitral, está uma lápide com o nome da ofertante:

Oferecido pela Exma. Senhora
CONDESSA DIAS GARCIA
23 de fevereiro de 1935
O PÃO DOS POBRES
Sabia-se que Frei António, vivia já famoso pelas suas pregações e caridade no Convento de Santa Maria Mater Domini, em Pádua.
Um dia, como já era costume naquela época penosa pela extrema pobreza, veio bater à porta do Convento um homem pobre, pedindo algo para comer e “matar” a sua fome. Quem o atendeu foi Frei António, que foi à dispensa, pegou no pão que era preparado pelo frade cozinheiro e padeiro com todo o zelo e carinho. Não foi o único pobre nem o único pão dispensado pelo Frei António. Por consequência, foi que na caixa do pão para a refeição dos Frades esta ficou vazia, causando um grande desapontamento e impaciência ao frade cozinheiro, que não ia ter pão para os seus irmãos quando regressassem das suas orações habituais.
O frade cozinheiro foi ter com António e falou-lhe da situação crítica em que se encontrava, porque estava a chegar a hora da refeição.
Diz-se que Santo António sorrindo para ele, bateu nas suas costas dizendo: “Não se preocupe irmão! Deus há-de providenciar!
De facto, ao voltarem os Frades a dirigirem-se para o refeitório, a caixa encontrava-se cheia de pães, causando uma grande surpresa e espanto ao frade cozinheiro.
Todos os anos no mês junho, realiza-se na Capela as tradicionais Novenas de 4 a 12, e a Eucaristia a 13, em louvor do Santo onde será distribuído o Pão (benzido) a todos os presentes.
“Nada mais tradicional e profundamente enraizado no povo Cristão e também não cristão, do que o Pão de Santo António”

 

 

 

 

 

 

6 visualizações
bookmark icon