Opinião

O exemplo...

• Favoritos: 3


Naturalmente, ao longo da nossa história pessoal vamos conhecendo pessoas... E que, muitas vezes sem saberem, contribuem de alguma maneira para o nosso crescimento equilibrado, ajudam-nos a perceber a importância de nos preocuparmo-nos com os outros.
Quando conheci a minha companheira Lídia ela apresentou-me a sua mãe Rosalina. Logo aí, comecei a contactar com uma realidade que pensava só existir nos livros, falo-vos das sociedades matriarcais! Não se assustem, não vos vou cansar com estas histórias... naturalmente, deixo isso para os historiadores que falarão melhor deste tema. O certo, é que encontrei na minha sogra uma verdadeira matriarca. A forma como ela organizava a sua vida era para nós um forte exemplo. Mas, este exemplo, não fica por aqui... Na família encontramos exemplo disso mesmo, mulheres empreendedoras... Aqui ao lado, em Milheirós de Poiares vive a tia Adelaide, outra matriarca da família, irmã da Rosalina. A tia Adelaide e o tio António, que infelizmente já não se encontra entre nós, este casal maravilhoso, criaram um pequeno império. Desde o início que os adoptei como meus tios. Têm quatro filhos: o Carlos, o Paulo, o Miguel e a Teresinha. Assistimos aos casamentos de todos, aos nascimentos dos seus filhotes. Assistimos ao crescimento de toda esta gente. Observamos o engrandecimento desta família. É para mim um orgulho enorme poder fazer parte deste núcleo familiar.

A nova geração... O futuro está garantido!

Esta família, como muitas outras, procuraram aqui, em S. João da Madeira, construir o seu futuro. Esta família, de gente trabalhadora, oriunda de Bastuço, Barcelos, onde o sustento vinha da terra, trabalhada sol a sol... A primeira vez que fui à terra da Rosalina, ao chegarmos à localidade encontramos à beira da estrada a seguinte inscrição: “Sorria. Está em Bastuço”. Boa recepção a todos que aqui chegavam... Uma localidade pequena, ali junto ao monte Airó, com os seus penedos...
Amigos, desculpem ao falar dos meus, mas tenho a certeza que vos ponho a pensar nos vossos familiares. Que vocês também admiram...
Esta semana na música proponho o programa “Cantando Zeca”, que passou na RTP1, longe do horário nobre, no dia 25 de abril... Se puderem voltar para trás não deixem de ouvir.
Nos livros, “Há sempre um amanhã”, de Pearl S. Buck.
25 de abril sempre!

3 Recomendações
6 visualizações
bookmark icon