Sociedade

Sanjotec promove empreendedorismo ambientalmente sustentável

• Favoritos: 2


O Parque de Ciência e Tecnologia de S. João da Madeira participa no consórcio que desenvolve o projeto Startup Zero, especialmente dirigido aos jovens. Nesse âmbito, decorreu nessas instalações, na última semana, um workshop dedicado à economia

A Sanjotec  dinamizou nas suas instalações, em S. João da Madeira, o workshop “Inovação e empreendedorismo rumo a uma economia circular”, que decorreu na última semana. O Presidente da Câmara Municipal, Jorge Sequeira, deu as boas-vindas aos participantes e destacou a importância da iniciativa “Startup Zero”, que envolve diversas entidades e no âmbito do qual foi realizada essa sessão.
Trata-se de um projeto de promoção da inovação e do empreendedorismo, focado na transição para a economia circular – assente em princípios como a redução, reutilização, recuperação e reciclagem de materiais e energia –, colocando o foco no ecodesign e do uso eficiente dos recursos naturais. Esta vertente ambiental é destacada peloautarca, que é também, por inerência de funções, o responsável máximo da Sanjotec.
Para Jorge Sequeira é “decisivo e urgente” a concretização de projetos focados na economia circular, como é o caso do “Startup Zero”, particularmente no contexto atual de “alterações climáticas com impactos severos no futuro do planeta e da humanidade”. O edil salienta também o facto de os principais destinatários deste projeto serem os jovens: “O que estamos a fazer é semear”.

“Captar jovens para a economia”

Referindo as ações que têm já sido desenvolvidas em estabelecimentos de ensino da cidade, nomeadamente dos agrupamentos escolares Dr. Serafim Leite e João da Silva Correia, o autarca sanjoanense considera importante “promover o espírito de empreendedorismo, promover o espírito de inovação” junto desse público, de forma a “captar jovens para a economia, para a produção de riqueza”.
Ou seja, o projeto “Startup zero” conjuga duas vertentes que, para o Presidente da Câmara de S. João da Madeira, são fundamentais para o desenvolvimento da indústria: a atenção ao ambiente e a capacidade de atração junto dos mais novos, de forma a “capacitá-los e orientá-los”, no sentido de, futuramente, contribuírem “para a criação de empresas e para a criação de riqueza”.

Ar­tigo dis­po­nível, em versão in­te­gral, na edição nº 3888 de O Re­gi­onal,
pu­bli­cada em 21 de abril de 2022

2 Recomendações
7 visualizações
bookmark icon