Sociedade

Sanjoanenses fizeram mais testes à covid-19

• Favoritos: 37


O número de testes feitos à covid-19 aumentou consideravelmente, na cidade, em linha com o panorama nacional, na semana entre o natal e o ano novo. Mais testes, mais resultados positivos.

Numa ronda telefónica pelas farmácias da cidade, na qual ‘O Regional’ só conseguiu obter informações da Farmácia da Praça, constatamos um aumento no número de testes feitos à covid-19, quer autotestes, quer antigénio.
“Temos dois tipos de testes, os autotestes, que vendemos paras pessoas fazerem em casa, e temos os antigénio, mais profissionais, em que passamos certificado. Tivemos aumento de uns e de outros”, informou Nuno Martins, da Farmácia da Praça, esclarecendo ainda que houve “sempre testes”, nunca esgotaram. “Nunca tivemos falta de uns nem de outros”, vincou.
Sobre os testes feitos na semana entre o natal e o ano novo, acredita que “o número de autotestes mais do que duplicou, mas ao certo é difícil” apontar números.
Já relativamente a casos positivos detetados, Nuno Martins afirma que houve mais casos esta semana (segunda e terça-feira, dia em foram prestadas as declarações ao jornal).
Aparecem mais casos positivos esta semana do que antes da passagem de ano
“Inicialmente não [houve muitos casos positivos], acho que esta semana estamos a encontrar mais casos positivos do que na semana antes das festas. Estão a aparecer mais positivos nesta semana do que propriamente antes da passagem de ano”, disse, na terça-feira.
Em declarações a ‘O Regional’, acrescentou que, no início do ano, “a procura de autotestes diminuiu, a de testes antigénio mantem-se igual, tem havido muitos, embora não tantos como na semana da passagem de ano”.
“Acho que, no dia 31, fizemos 200 e tal testes. Normalmente andamos nos 60, 70, pode chegar aos 80, mas por aí”, afirmou.
Nuno Martins frisa ainda que “se o teste dá positivo, a pessoa tem obrigação de fazer o autoisolamento e contactar a Saúde 24”, sendo que a farmácia comunica todos os resultados dos testes realizados.
Também Fausto Sá, do Centro Médico da Praça (CMP), refere que o número de testes feitos “aumento muitíssimo”.
“Aumentaram ligeiramente as percentagens que vinham anteriormente existindo em termos de testes rápidos. O teste rápido tinha uma percentagem baixíssima, era de 0,3%, se fosse. Agora subiu ligeiramente, não há dúvida que subiu”, esclareceu, remetendo para dias em que foram feitas “largas centenas deles”, quer no CMP, quer no drive thru localizado no parque de estacionamento da Oliva Creative Factory.
“Mas na Oliva deixamos de fazer testes rápidos porque temos muitos PCRs, principalmente para emigrantes e pessoas que viajam”, informou o responsável, em declarações ao nosso jornal.
O CMP também “teve sempre testes”. “Precavemo-nos com a devida antecedência”, sustentou Fausto Sá.
Nos próximos dias “é natural” que aumente o aparecimento de casos positivos devido à nova variante
Quanto a casos positivos, “as percentagens, em média diária, ultrapassam os 20%”, designadamente nos PCR’s, que por terem “mais exatidão” estão “protocolados para teste final”, conforme indicou o responsável. Nesta semana, “a procura não aumentou, mas ainda continua alta” no CMP.
“Não tem aparecido assim tantos positivos, onde tem aparecido mais é nos PCR’s, mas também aumentaram nos testes rápidos”, diz Fausto Sá, considerando que “é natural que aumentem por causa da nova variante, que se está a refletir cada vez mais tardia”.
Do seu ponto de vista, irá “refletir-se ainda mais daqui a 8 ou 10 dias, com a passagem do natal e outros eventos que se fizeram”, conforme conclui, remetendo nomeadamente para eventos desportivos que acredita que podem ter impacto na zona norte do país.

37 Recomendações
78 visualizações
bookmark icon